À medida que se aproxima o grande dia, talvez se interrogue se dará conta quando entrar em trabalho de parto. Não se preocupe: o corpo da mulher quase sempre dá os sinais necessários e a sabedoria interior para os reconhecer. Eis aqui o que deve procurar:

Sinais indicativos de que falta pouco para o parto

O início do parto: as contracções

Parto ou falso alarme?

O telefonema

Sinais indicativos de que falta pouco para o parto

Fundamentalmente são dois os sinais que lhe indicam que o parto está próximo.

1. Ruptura das membranas (o saco amniótico). Ã o que vulgarmente se conhece como "rebentar as águas". Nem todas as mulheres expulsam a mesma quantidade de líquido amniótico pela vagina. Em algumas mulheres é apenas um gotejar, ao passo que em outras é um fluxo repentino. Surpreendentemente, apenas 25% das mulheres rebentam as águas antes do parto e o mais habitual é que ocorra durante o mesmo. Mas quando ocorre antes, o mais normal é que a mulher entre em trabalho de parto no espaço de 24 horas. Se as águas rebentarem, avise o seu médico ou parteira imediatamente. Anote a hora a que rebentaram, a cor e a quantidade de líquido e se deitam algum odor desagradável. Comunique toda esta informação ao seu médico.

2. Fluxo sanguinolento. Um dia ou dois antes de começarem as contracções, é possível que observe um fluxo mucoso rosado ou manchado de sangue. Este "fluxo sanguinolento" não é mais do que o rolhão mucoso que manteve o colo do útero fechado durante a gestação. Nem todas as mulheres notam este fluxo e em algumas as contracções começam antes de soltar o rolhão mucoso. Também há que ter em conta que este fluxo sanguinolento não é igual ao fluxo castanho que pode aparecer após um exame vaginal pré-parto e que não é motivo de preocupação.

O início do parto: as contracções O sinal inconfundível de que o trabalho de parto começou é quando chegam as contracções uterinas a intervalos regulares. As primeiras contracções são como dores menstruais ou pontadas na zona lombar que vêm e vão a cada 20 ou 30 minutos. Pouco a pouco, estas dores ou pontadas vão aumentando de intensidade e duração. Além disso, as contracções tornam-se mais frequentes, até que chegam a cada três a cinco minutos. Controle a frequência das suas contracções anotando a hora exacta em que começam e o tempo que duram.

Parto ou falso alarme?

Parto real

  • As contracções são regulares e seguem uma pauta previsível (por exemplo, chegam em cada oito minutos). -Existe uma progressão em três aspectos: as contracções a) chegam cada vez mais cedo, b) duram cada vez mais tempo e c) são cada vez mais dolorosas.

  • Cada contracção começa na zona lombar e a dor irradia-se depois para frente, para as virilhas.

  • As contracções não desaparecem nem se atrasam por uma mudança de actividade ou de posição.

  • Pode aparecer um fluxo sanguinolento.

  • Ã possível que as águas rebentem.

  • O médico ou parteira observará alterações no colo uterino, como maturação (amolecimento) ou dilatação.

Falso alarme

  • As contracções são irregulares e imprevisíveis (por exemplo, repetem-se aos dez minutos e depois aos seis, dois, oito, etc.).

  • Não se observa qualquer progressão.

  • As contracções são como uma tensão abdominal generalizada.

  • Mudar de actividade ou de posição pode fazer com que as contracções se atrasem ou desapareçam.

  • Não costuma haver fluxo sanguinolento.

  • As águas não rebentam.

  • Não há alterações no colo uterino.

O telefonema

Se acha que está em trabalho de parto, telefone ao seu médico. Tenha as suas notas à mão quando fizer o telefonema. Assim poderá dar-lhe informações precisas sobre os seus sintomas. Não receie telefonar a qualquer hora, do dia ou da noite. O seu médico está consciente de que o parto nem sempre começa em horário laboral e os médicos de turno sabem que o telefone pode tocar a qualquer momento.

Também tem de ter em conta que talvez não tenha que ir para o hospital imediatamente. De facto, se se trata do seu primeiro bebé, a maioria dos médicos e parteiras recomendar-lhe-ão que fique tranquila em casa até que as contracções se apresentem em intervalos de cinco minutos. Se já deu à luz antes, é possível que lhe digam que vá para o hospital antes, porque o seu parto pode evoluir com maior rapidez.

Quando se está em trabalho de parto têm-se diferentes sensações ao mesmo tempo, como excitação, incredulidade e apreensão. Tente manter a calma e organizar-se. Peça ao seu companheiro ou a um amigo que fique consigo para a ajudar a anotar os seus sintomas, fazer-lhe companhia e levá-la para o hospital quando chegar o momento. Sobretudo, esteja consciente de que está capacitada para cumprir a tarefa que tem pela frente, que é a de trazer o seu bebé ao mundo.

  • Artigo realizado por Elaine Zwelling, RN, PhD, FACCE

Artigos relacionados