Parto prematuro

Parto prematuro

Provavelmente já ouviu dizer que à medida que se vai aproximando a data prevista para o parto, o útero fica tenso em certas ocasiões, à medida que cresce, estira-se e "pratica" para dar à luz. Trata-se das chamadas "contracções de Braxton-Hicks" e são perfeitamente normais.

No entanto, cerca 10% das grávidas sofre as contracções de parto de forma prematura. A diferença das de Braxton-Hicks, é que se trata de verdadeiras contracções de parto. Indicam que este vai começar antes de o bebé estar preparado para nascer.

Como distinguir as contracções de Braxton-Hicks num parto prematuro? As diferenças baseiam-se principalmente na sua frequência, intensidade e duração. Eis aqui o que deve procurar:

Contracções de Braxton-Hicks

Contracções de parto prematuro

Impedir um parto prematuro

Prevenir o parto prematuro


Contracções de Braxton-Hicks

As contracções de Braxton-Hicks começam a notar-se no terceiro trimestre da gravidez. Pode notar uma certa tensão generalizada no útero, quase como se estivesse a fazer um novelo, ou talvez lhe pareça que o bebé está a dar voltas. Estas contracções não são dolorosas e quase sempre desaparecem em mais ou menos uma hora. Apesar de todas as mulheres terem as contracções Braxton-Hicks, nem todas as sentem, sobretudo se se tratar do seu primeiro filho. Portanto não se preocupe se nunca chegar a notá-las.


Contracções de parto prematuro

As contracções de parto podem aparecer de forma prematura em qualquer momento entre a 20ª e a 37ª semanas de gestação. Não só não desaparecem, como também são cada vez mais frequentes, regulares e incómodas.

Outros sintomas de parto prematuro são:

- Dores semelhantes às menstruais acima da púbis.

- Pressão ou dor na pélvis, nas coxas ou nas virilhas.

- Uma dor moderada ou pressão lombar.

- Dores intestinais ou diarreia.

- Aumento do fluxo vaginal.

- Um fluxo aquoso, rosado ou acastanhado, ou efusão de sangue pela vagina.

Se experimentar algum destes sintomas ou mais de quatro contracções no espaço de uma hora, chame o seu médico imediatamente. Talvez lhe diga que vai vê-la para examiná-la ou que cronometre as contracções. Poderá senti-las (tensão e relaxamento do útero) se apoiar ligeiramente as pontas dos dedos sobre o seu abdómen.


Impedir um parto prematuro

Se o médico crê que pode tratar-se de um parto prematuro, solicitará o seu internamento no hospital. Existem três razões para isso.
Primeira, realizar um exame vaginal para ver se o colo do útero está a dilatar-se e analisar o fluido vaginal, a fim de estabelecer se se trata de um parto prematuro.
Segunda, tentar impedir o parto com fármacos. Isto nem sempre funciona e não convém a todas as mulheres. Será o médico quem decidirá. Se efectivamente se tratar de um parto prematuro, dar-lhe-ão uma injecção de corticóides para facilitar o desenvolvimento pulmonar do bebé.

Se as contracções continuarem, possivelmente ficará internada no hospital para poder ser controlada de mais perto.

Por último, se tudo isto falhar e o bebé nascer prematuro, é melhor para ele estar no hospital. Poderá ser muito pequeno e ter problemas em respirar, comer, manter a sua temperatura corporal ao nível normal e desenvolver os seus órgãos vitais. Os bebés prematuros são assistidos numa unidade de cuidados intensivos especial para neo-nascidos, onde recebem a assistência que os ajuda a desenvolverem-se devidamente.


Prevenir o parto prematuro

Você também pode tomar precauções que podem contribuir para prevenir o parto prematuro:

- Beba a quantidade de líquido suficiente para evitar ficar desidratada, o que poderá aumentar a "irritabilidade" do seu útero.

- Mantenha uma dieta saudável e um ganho de peso adequado.

- Mantenha a sua bexiga vazia para reduzir as possibilidades de padecer de uma infecção do tracto urinário (ITU), o que pode aumentar o risco de as contracções de parto aparecerem prematuramente.

- Seque-se sempre da frente para trás após urinar ou defecar, para evitar uma ITU.

- Use roupa interior de algodão. Este material transpira melhor do que outros e reduz o risco de se produzir uma infecção vaginal.

- Deixe de fumar e não consuma drogas nem álcool.

- Sente-se com as pernas elevadas mais ou menos de hora em hora e não segure objectos pesados.

- Cesse toda a actividade física e descanse se aparecerem contracções que não desaparecem ao fim de pouco tempo.

- Tente reduzir a tensão da sua vida.

A possibilidade de se lhe apresentar um parto prematuro assusta, mas a maioria das mulheres só experimenta as contracções de Braxton-Hicks. O melhor que pode fazer para já é prestar atenção à sua actividade uterina e cuidar bem de si mesma. Chame o seu médico se lhe acontecer qualquer coisa fora do normal.

* Artigo realizado por Elaine Zwelling e o Dr. Jim Thornton

Pode interessar-te: