A maioria dos sintomas que a mulher experimenta durante a gestação são normais, apesar de serem algo incómodos. São meras consequências da gravidez. Por exemplo, é habitual sentir que falta o ar, porque se tem necessidade de respirar profundamente para que o bebé receba oxigénio abundante. Ã incómodo, mas é bom para o bebé. Contudo, é natural preocupar-se e questionar-se se está tudo bem.

Apesar de ser raro que surjam verdadeiras complicações, é sempre bom saber o que esperar. A seguir descrevemos alguns sinais que podem indicar problemas:

- Manchas ou sangramento vaginal

  • Ruptura das membranas (o que vulgarmente se conhece por "rebentar as águas") de forma prematura (antes das 37 semanas), que pode manifestar-se com um fio de líquido, um pingar constante ou um fluxo repentino

  • Dor abdominal persistente ou contracções uterinas prematuras (para obter mais informações, consulte o artigo "Parto prematuro")

  • Variação ou ausência total de movimento do feto (voltas ou pontapés do bebé) durante mais de 24 horas após a 20ª semana

  • Uma forte dor de cabeça que persiste mais de duas ou três horas

  • Transtornos visuais, como visão turva ou dupla

  • Desmaios ou vertigens (sentir-se enjoada também pode ser um sintoma normal da primeira fase da gravidez)

  • Um aumento de peso superior a 900 gramas semanais (não relacionado com excessos na alimentação!)

  • Uma forte dor por cima do estômago, debaixo da caixa toráxica

  • Inchaço (edema) da cara, dos olhos ou das mãos (é normal ter os pés ou as mãos inchados durante a gravidez, mas convém mantê-los sob vigilância médica)

  • Vómitos que duram vários dias e que se apresentam mais de duas ou três vezes ao dia, sobretudo depois do primeiro trimestre, fase em que os "enjoos matinais" deveriam ter terminado

  • Sintomas de infecção (febre, calafrios, ardor ao urinar ou diarreia)

Se notar algum destes sintomas, consulte o seu médico o quanto antes. Desta maneira, evitará preocupações e se efectivamente houver um problema, poderá procurar uma solução de forma imediata.

  • Artigo realizado por Elaine Zwelling e o Dr. Jim Thornton