Emoções descontroladas

Conteúdos
verificados por:

Partnership logo

Emoções descontroladas

A gravidez é uma experiência muito emotiva. Provavelmente terá observado que o resto das pessoas, os médicos e as parteiras, bem como a sua família e amigos, se fixam sobretudo nos aspectos físicos da gestação. O que os preocupa é a sua saúde e a do bebé, visto que os aspectos físicos são mais concretos e fáceis de observar pelos outros. No entanto, a maioria das mulheres grávidas está de acordo que as emoções e as mudanças de humor são igualmente importantes.

Porquê tanta emotividade durante a gravidez? E como superá-la?

A grande adaptação

Mudança de papéis

Que sentimentos podem aparecer

Controlar as emoções

A grande adaptação

Quase todas as mulheres desejam ser mães. Mas quando finalmente chega a gravidez, quer seja desejada ou não, é possível que os sentimentos que gera sejam algo diferentes do esperado. Ã provável que uma mulher que pensava sentir-se aterrada se encontre surpreendentemente tranquila, enquanto que outra que acreditava estar preparada, sinta uma repentina insegurança.

Normalmente, os sentimentos mudam a cada trimestre que passa e cada fase da gravidez traz os seus próprios problemas emocionais. Durante o primeiro trimestre, talvez tenha que assimilar o próprio facto de estar grávida. No segundo, é possível que se concentre na ideia de que na verdade vai ter um bebé. No terceiro trimestre, é provável que prolongue essa ideia no tempo e contemple as responsabilidades 'e alegrias' que o papel de mãe implica. Tudo isso exige uma importante adaptação emocional.


Mudança de papéis

Uma gravidez também muda a dinâmica das relações familiares. Se vai ter o seu primeiro filho, deixará de ser um indivíduo ou parte de um casal, que só tem obrigações para consigo mesmo ou para com outro adulto, a ter a responsabilidade permanente de um bebé totalmente dependente.

Se for o segundo (o terceiro ou o quarto) filho que vai ter, ainda assim haverá novas mudanças na família porque aumentarão as responsabilidades. A chegada de uma nova pessoa pequenina a uma família pode causar tensões por vezes, inclusive nas mais felizes das circunstâncias. à por esta razão que por vezes se considera a gravidez uma 'crise de desenvolvimento'. Apesar do facto de se ter um filho ser algo normal e maravilhoso na vida, ainda assim pode ser assustador. E os sentimentos podem aumentar devido às mudanças hormonais que têm lugar no seu organismo.


Que sentimentos podem aparecer

A seguir indicamos algumas emoções e reacções que muitas grávidas manifestam. Observe-se que nem todas elas são negativas:

- Alegria, felicidade e excitação
- Depressão, incerteza ou medo
- Irritabilidade
- Calma
- Maior dependência do companheiro ou da família
- Orgulho por ter realizado um milagre
- Amor e apego ao bebé, apesar de ainda não ter nascido
- Reacções perante as mudanças da sua imagem física (talvez lhe agrade o aspecto do seu corpo durante a gravidez ou talvez não)
- Certo atordoamento
- Tristeza por que as coisas já não são o que eram
- Ansiedade devida à economia familiar, à distribuição das divisões da casa, ao cuidado do bebé, à perda de independência, às mudanças na relação com o seu companheiro, ao parto, se será uma boa mãe, etc.
- Impaciência, sensação de ter estado grávida toda a vida
- Hipersensibilidade face aos comentários ou conselhos dos outros
- Choro frequente
- Fantasias acerca do bebé

Controlar as emoções

Apesar de todos os sentimentos mencionados serem normais, podem adoptar-se medidas para reduzir as mudanças de humor durante esta época tão apaixonante como cansativa.

Mantenha-se em boas condições físicas. Coma bem, faça exercício e descanse quanto puder. Se estiver cansada ou não se sentir bem, é mais provável que sinta ansiedade ou mal-estar.

Informe-se. Frequente as aulas de preparação para o parto e leia livros sobre a gravidez. Saber o que a espera, falar com profissionais e conhecer outros futuros pais pode aliviar a sua tensão.

Partilhe as suas ideias e sentimentos com o seu companheiro, os seus amigos ou a sua família.

Evite sobrecarregar-se de compromissos domésticos ou laborais.

Não tome nenhum medicamento para a depressão ou as mudanças de humor, nem sequer remédios de ervanárias. Durante a gravidez, consulte sempre o seu médico antes de tomar algum fármaco, quer seja com ou sem receita.

* Artigo realizado por Elaine Zwelling e o Dr. Jim Thornton
 

Pode interessar-te:

Fraldas

Fraldas Dodot Sensitive

A nossa máxima proteção da pele