AS13

Está na semana

Ir

BEM VINDOS A SEMANA 16

Gravidez

É possível que comece a sentir o seu bebé a mexer-se!

EM ALGUM MOMENTO, A PARTIR DE AGORA e até à semana 20, é possível que sinta movimento pela primeira vez. Se é a sua primeira gravidez, é provável que se aperceba por volta da semana 20. Por isso, não se preocupe se ainda não sentiu nada. O feto ainda é muito pequeno (cerca de 11 ou 12 cm de comprimento e 80 g de peso) e, provavelmente, o colchão de líquido amniótico impede-a de sentir movimento por agora.

O desenvolvimento do seu bebé.

A cara do bebé já começa a parecer humana, à medida que a boca e o nariz vão ganhando forma. O esmalte dos dentes está-se a formar, as impressões digitais já se vão definindo e, no final do mês, começarão os movimentos oculares. O feto pesa entre 57 e 99 gramas e mede de 10,15 a 15,30 centímetros.

Provavelmente, os genitais já se desenvolveram o suficiente para revelar o sexo do bebé, se fizer uma ecografia. Se estiver à espera de uma menina, os ovários já terão fabricado milhões de óvulos. E, se for um menino, os seus testículos já terão células produtoras de esperma.

O seu bebé desenvolve todo o tipo de atividades, como chuchar no dedo polegar ou agarrar o cordão umbilical. É possível que já tenha sentido alguns murros e pontapés. Preste especial atenção depois de uma refeição ou da parte da tarde, momentos em que os bebés parecem mostrar-se mais ativos. Quando sentir um toque, experimente devolver o movimento com suavidade.

Os ciclos de atividade do bebé estão, de certo modo, relacionados com os da mãe. Entre as 20 e as 22 semanas, o feto torna-se diurno, o que significa que o seu bebé tem períodos de vigília e de sono que variam do dia para a noite. O seu corpo também adaptará as suas regras às do seu bebé: notará que o seu sono é cada vez mais leve e que é mais fácil para si fazer uma sesta.

Por Dra. Suzanne Dixon e Dr. Jim Thornton

Hábitos saudáveis no trabalho.

A menos que a sua gravidez seja de alto risco, é provável que possa continuar a trabalhar até ao dia do parto ou até pouco antes. Alguns conselhos para se manter descansada e em bom estado de saúde:

- Se possível, descanse um pouco e sente-se com os pés ao alto várias vezes por dia (bastarão 15 minutos). Deste modo, diminuirá o inchaço dos seus pés e tornozelos.

- Se o seu trabalho for muito stressante, está na altura de aprender alguma técnica anti-stress, como o ioga ou a meditação. As mulheres submetidas a um elevado nível de stress têm uma maior incidência de partos prematuros.

- Durma bem. É recomendável fazer a sesta, se tiver essa possibilidade. Caso contrário, tente deitar-se cedo.

Lembre-se de que algumas situações profissionais (muitas horas de pé ou a carregar peso, exposição a radiações, riscos de queda de alturas?) podem acarretar riscos especiais para si e para o seu bebé. Neste caso, é provável que a sua empresa tenha um plano especial para que possa solicitar a baixa no momento adequado ou adaptar o seu posto de trabalho a um que não a exponha a riscos.

Por Dra. Margaret Comerford Freda e Dr. Jim Thornton

A importância das proteínas na gravidez.

Se há algo do qual nem você nem o seu filho podem prescindir neste momento são as proteínas. As proteínas ajudam a conservar a energia da mãe e fornecem ao bebé os aminoácidos de que necessita para crescer.

A ingestão diária de proteínas recomendada durante a gestação é de 60 gramas, embora alguns nutricionistas recomendem 100 gramas. Um litro de leite contém  aproximadamente 30 gramas de proteínas.

As mulheres gestantes necessitam de proteínas "de qualidade", isto é, proteínas que contenham todos os aminoácidos necessários em grandes quantidades. A maior parte das proteínas animais são de qualidade, enquantoas proteínas vegetais não o são. Se é vegetariana, deverá consumir determinadas combinações de proteínas vegetais para se certificar de que obtém todos os aminoácidos necessários. Informe-se junto de um nutricionista.

Por Dra. Margaret Comerford Freda e Dr. Jim Thornton

As vantagens da amamentação.

Neste momento, custa imaginar que, em breve, terá um bebé para alimentar, mas o seu corpo já está a prever essa necessidade. As hormonas fazem com que os seus seios inchem, preparando-os para produzir o melhor alimento do mundo para o bebé: o seu próprio leite.

Todos os estudos demonstram que os bebés alimentados com leite materno têm menos infeções respiratórias, otites, diarreias, casos de pneumonia e outras doenças do que os bebés alimentados com leite artificial. A longo prazo, os bebés que são amamentados têm menos probabilidades de sofrer de diabetes, artrite reumatoide e algumas formas de cancro e são menos propensos à obesidade.

Além disso, os especialistas especulam que a exclusiva combinação de aminoácidos e ácidos gordos contida no leite materno pode explicar o melhor desenvolvimento cerebral e visual observado nos bebés alimentados com leite materno.

Amamentar também é melhor para a mãe. Aumenta a resistência dos ossos durante toda a vida, já que diminui o risco de sofrer de osteoporose. Também reduz as probabilidades de contrair cancro da mama. A amamentação pode ajudar o corpo a recuperar a sua forma mais rapidamente depois do parto, uma vez que melhora o tónus uterino e consome a gordura acumulada durante a gestação. Além disso, liberta endorfinas, hormonas que intensificam a sua sensação de bem-estar.

Por Dra. Suzanne Dixon e Dr. Jim Thornton

Emoções descontroladas.

A gravidez é, naturalmente, uma experiência muito emotiva e é provável que os seus sentimentos mudem a cada trimestre que passa. Durante o primeiro trimestre, possivelmente terá que assimilar o próprio facto de estar grávida. No segundo, é possível que se concentre na ideia de que, na verdade, vai ter um bebé. E, no terceiro trimestre, é provável que prolongue essa ideia no tempo e contemple as responsabilidades e as alegrias que acarreta ser mãe, assim como o próprio momento do parto. Tudo isso requer um importante ajuste emocional.

Todas as emoções que sente durante a gravidez (medo, alegria e impaciência) são perfeitamente normais. E pode adotar medidas para diminuir a intensidade das que lhe provocam mais stress:

- Coma bem, faça exercício sem exagerar e descanse o máximo que puder.

- Vá a todas as suas consultas de assistência pré-natal, frequente as aulas de preparação para o parto e leia livros sobre a gravidez. Saber o que esperar contribui para aliviar o stress.

- Partilhe os seus pensamentos e sentimentos com outras pessoas.

- Evite sobrecarregar-se de compromissos domésticos ou profissionais.

Não tome nenhum medicamento para a depressão ou para as alterações de humor, nem sequer remédios de ervanárias, sem antes consultar o seu médico.

Por Dra. Elaine Zwelling e Dr. Jim Thornton

Um jogo de equipa.

Para os pais: O que significa partilhar as responsabilidades paternas com a sua companheira? Mudar fraldas, ajudar com as mamadas, dormir menos? Esta é uma boa altura para comparar as suas expectativas com as dela. É preciso tempo para resolver as diferenças de opinião, que certamente vão existir. Participe na cozinha e noutras tarefas domésticas a partir de agora para adquirir prática e para demonstrar que ser pai é uma coisa séria.

Pode interessar-te: