AS9

Está na semana

Ir

Conteúdos
verificados por:

Partnership logo

BEM VINDOS A SEMANA 12

Gravidez

O seu bebé já é menino ou menina, mas ainda é surpresa!

NO FINAL DESTA SEMANA, a monumental tarefa de formação das novas estruturas corporais terá chegado ao fim. As peças já estão todas no seu devido lugar, desde os dedinhos das mãos aos dedos dos pés. Inclusive, os órgãos sexuais já estão formados, embora seja demasiado cedo para a ecografia revelar com exatidão se é menino ou menina.

O desenvolvimento do seu bebé.

A cabeça está a ganhar forma. Este mês, aparecerão os olhos, as orelhas, o nariz e a mandíbula. Também nascerão as raízes dos dentes, embora estes só comecem a romper bastante tempo depois do parto. O couro cabeludo e os pêlos corporais crescem como se fossem "pele de pêssego". E os neurónios cerebrais começam a desenvolver-se ao ritmo de milhares por minuto.

Os rins começam a produzir urina, o fígado fabrica bílis e a medula óssea cria células sanguíneas. Os órgãos que apareceram no mês passado (o baço, o pâncreas e os intestinos) adquirem maior complexidade. Os pulmões começam a praticar movimentos respiratórios. E o coração, já com quatro cavidades e a bater a um ritmo constante, incorpora novas camadas de músculo e revestimento protetor.

No fim deste mês, o bebé medirá mais de 7,5 centímetros de comprimento e pesará entre 15 e 30 gramas.

O bebé já começa a realizar alguns movimentos novos: mexer os dedos das mãos e dos pés, bocejar, chuchar, engolir, etc. E o melhor de tudo é que já se mexe quando alguém lhe toca através da barriga. O feto começa igualmente a mostrar sinais da sua personalidade em formação: alguns são tranquilos, enquanto outros são muito ativos.

Às 11 semanas, o bebé mexe-se durante 30% do tempo. No entanto, a partir deste mês, o cérebro diz ao corpo: " Calma...  que te vais cansar". Os movimentos passam a ser menos frequentes, mas mais coordenados e elaborados.

Por Dra. Suzanne Dixon e Dr. Jim Thornton

Uma fase de mudanças de humor.

Quando se está grávida, sentem-se muitas emoções. Por vezes, sentirá uma verdadeira excitação ("Não consigo acreditar que vou ter um bebé!"). Outras vezes, será apoderada de  receios ("E se me acontece alguma coisa a mim ou ao meu bebé?"). É possível até que se pergunte se tudo não passará de um erro ("Talvez não seja o melhor momento para isto").

Não deixe que estes sentimentos contraditórios a preocupem. São perfeitamente normais. O melhor que pode fazer é relaxar e enfrentar esta montanha-russa com serenidade.

Outra forma de encarar estas emoções contraditórias é manter-se informada acerca da sua gravidez.

Por Dra. Suzanne Dixon e Dr. Jim Thornton

O exercício durante a gravidez.

O exercício durante a gravidez é bom para a mãe e para o bebé. Facilita a circulação sanguínea entre ambos, reduz algum mal-estar da gravidez, aumenta a sua energia e melhora o seu estado de ânimo. Mas há que seguir algumas regras simples.

Aqui tem algumas recomendações:

- Pratique exercício, pelo menos três vezes por semana, durante 30 minutos seguidos, no máximo.

Evite os alongamentos passivos forçados, como tentar tocar nos seus dedos dos pés. Evite também dar esticões bruscos ou saltar.

Limite a atividade aeróbica à variedade de baixo impacto, como caminhar a passo rápido, nadar e pedalar numa bicicleta estática.

-  Proteja os seus músculos abdominais e lombares adotando posturas adequadas e evitando exercícios que a obriguem a forçá-los, como as elevações de tronco completas.

- Controle o seu ritmo cardíaco em esforço máximo, de modo a não exceder as 140 pulsações por minuto.

- Não se esqueça de fazer sempre um aquecimento prévio e alongamentos posteriores.

Lembre-se de que, se desejar continuar com as rotinas de exercício que fazia habitualmente antes de engravidar, deverá consultar o seu médico.

Por Dra. Elaine Zwelling e Dr. Jim Thornton

Alimentação durante a gravidez.

Quando se está grávida, deve-se comer duplamente bem, mas não o dobro da quantidade. A maioria das mulheres gestantes não necessita de mais de 300 calorias adicionais diariamente.

Um bom guia para ter uma dieta adequada durante a gestação é manter as seguintes proporções:

Cereais: coma 4 a 6 porções diárias de cereais, sob a forma de pão, cereais, arroz ou massa.

Frutas e legumes: coma 2 a 4 peças de fruta e 3 a 5 porções de legumes por dia.

Carne e produtos lácteos: coma 2 ou 3 porções diárias de carne, frango, peixe, feijão, ovos ou frutos secos e 2 ou 3 de produtos lácteos (leite, iogurte ou queijo).

Gorduras/doces: evite comer muitos alimentos deste grupo; os aperitivos não são muito nutritivos.

Por  Dra. Elaine Zwelling e Dr. Jim Thornton

Os primeiros exames médicos.

Na primeira consulta médica, pedir-lhe-ão uma série de exames que permitirão avaliar o risco de aparecimento de complicações durante a gravidez.

1. Análises ao sangue, para detetar:

Fator Rh. Se o seu Rh for negativo e o do seu companheiro for positivo, deverão administrar-lhe, a si, uma vacina na semana 28 de gestação para evitar que o seu sangue possa reagir contra o do feto.

Anemia (escassez de glóbulos vermelhos). Embora, durante a gestação, seja normal existir a denominada "anemia fisiológica" da gravidez, por vezes pode surgir anemia causada por uma deficiência de ferro ou outras circunstâncias que requerem tratamento.

Rubéola. Se contrair esta doença durante a gravidez, pode ser causa de malformações do feto. No entanto, hoje em dia, a maioria das mulheres estão vacinadas, pelo que o risco é muito baixo.

Hepatite B. Este vírus pode causar uma grave doença hepática, que pode ser transmitida ao bebé durante o parto. Se acusar positivo, o bebé terá que ser vacinado à nascença. Além disso, a mamã deveria ser examinada pelo  hepatologista para avaliar a necessidade de receber tratamento.

VIH. Hoje em dia, existem tratamentos muito eficazes durante a gestação e o parto que podem evitar a transmissão do vírus ao bebé.

2. Análises à urina. Com esta análise é possível detetar as infeções na urina. Também serve para comprovar os níveis de proteína ou glicose, que podem ser indícios de diabetes gestacional ou toxemia (pré-eclampsia).

3. Outras análises ao sangue, para detetar:

DST (doenças sexualmente transmissíveis). A sífilis é uma bactéria que pode prejudicar a mãe e o futuro bebé, pelo que é necessário tratá-la com antibiótico.

Por Dra. Margaret Comerford Freda e Dr. Jim Thornton

A escolha do médico e da parteira.

Provavelmente, já deve contar com um bom obstetra para a gravidez e para o parto ou está a pensar procurar um. Em todo o caso, é importante estar em boas mãos neste momento.

Sabe o que é necessário ter em conta?

Na hora de escolher um ginecologista e uma parteira, é importante avaliar que tipo de parto gostaria de ter. Pretende dar à luz num hospital ou em casa? Vai querer anestesia? Preocupa-a a episiotomia (um corte próximo da vagina para deixar mais espaço para o bebé sair)?

Por Dra. Margaret Comerford Freda e Dr. Jim Thornton

Três é companhia.

Para o pai: Não fique surpreendido se sentir que compete com o bebé, sobretudo se for o primeiro. É algo natural. Se expressar os seus sentimentos em voz alta, vê-los-á com outra perspetiva e, quem sabe, até se rirá deles. Fale com o seu pai ou com algum amigo que já tenha passado pela mesma situação. Verá como estes sentimentos de competitividade são muito comuns.

Pode interessar-te:

Fraldas

Fraldas Dodot Sensitive

A nossa máxima proteção da pele