A varicela

Conteúdos
verificados por:

Partnership logo

A varicela

A varicela é uma doença comum na infância causada pelo vírus varicela-zoster (VZV), que geralmente provoca febre e uma erupção na pele que consiste em pequenas vesículas (ou bolhas) de conteúdo aquoso, rodeadas por uma auréola rosada ou avermelhada, que podem aparecer em qualquer parte da pele, no couro cabeludo ou nas mucosas (boca, garganta, genitais). A varicela pode aparecer em qualquer idade, mas o mais frequente é afectar crianças com menos de 10 anos.

O vírus VZV contagia-se através do ar, a partir das lesões cutâneas ou da garganta da pessoa infectada. O vírus é inalado e a doença manifesta-se cerca de duas semanas mais tarde (de 10 a 20 dias). Ã pouco provável que as pessoas que já tenham tido esta doença voltem a contraí-la, mesmo que entrem novamente em contacto com o vírus. Apesar de tudo, e embora seja pouco frequente, por vezes pode-se ter varicela pela segunda vez. Nesse caso, a doença é normalmente leve e tende a aparecer em crianças que a tenham contraído pela primeira vez com menos de um ano de idade.

Quem já tiver tido varicela transportará o vírus nas suas células nervosas toda a vida, pelo que este pode reaparecer anos mais tarde originando um Herpes Zoster, que consiste numa erupção com vesículas, por vezes muito dolorosa, que afecta uma zona estreita (como uma banda) de apenas um lado do corpo, geralmente nas costas. Embora o Herpes Zoster afecte geralmente os idosos, às vezes também afecta crianças.

SINTOMAS E DESENVOLVIMENTO DA DOENÇA
Por vezes, as crianças sentem-se mal um dia antes da erupção da varicela, mas normalmente, o primeiro sinal da doença é o aparecimento de pequenas lesões vermelhas semelhantes às picadelas de insecto. Nas 24 horas seguintes, estas lesões transformam-se em pequenas vesículas de conteúdo aquoso claro e, mais tarde, turvo, que finalmente secam e formam crostas. Uma pessoa doente pode apresentar entre 20 a mais de 1000 destas lesões, mas o normal situa-se entre as 250 e as 500. Esta erupção provoca uma comichão intensa, o que origina irritabilidade durante o dia e falta de sono durante a noite. A maioria das crianças tem febre, mas poucas vezes elevada (quanto mais severa for a erupção, mais alta será a febre). Também podem apresentar uma dor de garganta leve e uma inflamação dos gânglios do pescoço. à frequente a falta de apetite.

À medida que as bolhas forem formando crostas e a febre baixar, o seu filho começará a sentir-se melhor. A doença dura normalmente de 7 a 10 dias e as lesões que possam aparecer nos olhos não requerem um tratamento especial, a menos que produzam uma vermelhidão ou inchaço acentuado. Quando as crostas caírem, podem deixar manchas claras ou escuras, que quase sempre desaparecem ao fim de alguns meses, apesar de poderem demorar anos.

QUANDO DEVO PREOCUPAR-ME?
Se o seu filho/a apresentar vómitos contínuos, estiver excessivamente sonolento/a, tiver dificuldade em caminhar, tosse muito intensa, dificuldade em respirar, dor no peito, dor de estômago forte ou febre superior a 40 °, deverá consultar o pediatra, embora não seja necessário fazê-lo de forma imediata.

No entanto, se o seu filho/a apresentar uma vermelhidão, dor ou inchaço excessivo nas zonas da erupção, tiver febre durante mais de uma semana ou continuar a apresentar novas lesões ao fim de 7 dias, é recomendável dirigir-se às urgências.

CONSELHOS ÚTEIS
•Para aliviar a comichão: Ã muito importante aliviar a comichão, que é o sintoma que mais incomoda o seu filho/a. Os banhos de água morna com aveia ou com 1/2 chávena de bicarbonato não só resultam, como limpam a pele e ajudam a prevenir uma possível infecção bacteriana acrescida. A loção de calamina nas lesões também alivia a comichão e é recomendável.
Os anti-histamínicos por via oral também reduzem a comichão e ajudam a conciliar o sono. O Paracetamol pode ser usado se a febre exceder os 38,5°. Não se deve dar ASPIRINA ® a crianças com varicela, já que o binómio aspirina-varicela foi associado a uma doença denominada Síndroma de Reye, que afecta o cérebro, o fígado e os rins. Os antibióticos não têm qualquer efeito sobre a varicela.
•Procure evitar que se cocem: Preste especial atenção e corte-lhes bem as unhas das mãos para evitar mais lesões ao coçarem-se.
•Às refeições, dieta normal: Proporcione ao seu filho/a uma alimentação normal, mas lembre-se que provavelmente não terá muita fome e não se preocupe se não comer a quantidade habitual durante alguns dias. Incentive-o/a a beber muitos sumos ou dê-lhe uma grande quantidade dos seus refrescos preferidos, sobretudo se tiver febre.
•Pode dar-lhe banho normalmente: Não tenha medo de dar banho ao seu filho/a, mesmo que tenha uma erupção severa. O banho não alastra a erupção nem a agrava; pelo contrário, provavelmente ajudará a prevenir uma infecção bacteriana. Mas esfregue-o com cuidado e suavidade, e, em seguida, seque-o bem.

CONTÁGIO
A varicela é uma das doenças mais contagiosas que existem. As pessoas com varicela contagiam-na a partir de 2 dias antes do aparecimento da erupção até todas as lesões secarem totalmente. Por conseguinte, é impossível evitar o contágio em casa. Infelizmente, a segunda criança a contrair a varicela na família apresenta normalmente uma versão mais intensa da doença, com febre mais alta e uma erupção mais extensa.

A varicela pode tornar-se muito grave em pessoas cujas defesas estejam baixas, como os doentes com cancro ou em tratamento com quimioterapia ou esteróides. Se o seu filho pertencer a um destes grupos, consulte urgentemente o seu médico. Se a criança conhecer alguém com estas características que possa ter estado em contacto com ela, avise a família o mais rapidamente possível.

Uma criança com varicela pode regressar à escola ou ao infantário quando todas as lesões tiverem secas, o que costuma acontecer aproximadamente ao fim de 1 semana após o início da erupção. Por vezes, uma ou duas vesículas podem persistir por baixo da pele das palmas das mãos ou dos pés, mas não são contagiosas se as restantes lesões já tiverem formado crosta. Um adulto saudável ou uma criança que já tenha tido varicela não pode contagiar outra pessoa, embora, isso sim, se torne portador/a do vírus. O seu filho/a pode visitar os avós ou outros familiares, pois não desenvolverão um Herpes Zoster pelo simples facto de terem estado em contacto com uma criança com varicela.

NOTA IMPORTANTE: Uma vez que a varicela é altamente contagiosa, se tiver que trazer a criança ao consultório durante a doença, tenha a amabilidade de o comunicar à enfermeira ou ao pessoal da recepção para que o levem para outra sala de espera e não entre em contacto com outras crianças.

à verdade que a vacina da varicela só deve ser tomada pelas crianças, uma vez que os adultos já tiveram esta doença?

A varicela pode manifestar-se em qualquer idade, embora o mais frequente seja afectar crianças com idade inferior aos 10 anos. Os adolescentes com mais de 14 anos e os adultos susceptíveis são um grupo de risco de contrair varicela grave, com taxas de hospitalização, de complicações e de mortalidade mais elevadas do que a população pediátrica. Se um adulto não tiver tido varicela em criança, é susceptível de contrair a doença e, portanto, deve ponderar-se a sua vacinação. As crianças com mais de 12-15 meses já podem ser vacinadas, com uma dose única. Os adultos devem tomar duas doses de 0,5 ml, separadas por um intervalo de 4 a 8 semanas, por via subcutânea, sem que por enquanto seja recomendável a revacinação posterior.

à possível contrair novamente a varicela se já se tiver tido anteriormente?

Apesar de ser muito pouco frequente, pode-se contrair a varicela pela segunda vez. Nesse caso, a doença é normalmente leve e tende a ocorrer em crianças que a tenham tido pela primeira vez antes de completarem um ano de idade.

à possível que pelo facto do meu filho ter tido varicela, à minha mãe lhe tenha aparecido herpes nas costas?

Quem já teve varicela alojará o vírus nas suas células nervosas durante toda a vida, pelo que este pode reaparecer anos mais tarde originando um Herpes Zoster. Geralmente, afecta pessoas idosas, muitas vezes coincidindo com surtos de varicela, embora também possa afectar crianças, especialmente as que a tiveram antes de completarem um ano de idade.

O meu filho esteve uma hora e meia com o primo, que na altura ainda não tinha nada, e passou-lhe a varicela. Como é que é possível contagiar uma doença de forma tão rápida?

A varicela é uma das doenças mais contagiosas que existem. As pessoas que têm varicela são contagiosas desde 2 dias antes do aparecimento da erupção até todas as lesões secarem por completo. Por conseguinte, é quase impossível evitar o contágio em casa ou na escola, tendo sido proposta a vacinação em massa da população.

Devo separar os meus dois filhos se o mais velho tiver varicela?

A segunda criança a apanhar varicela na mesma família normalmente vive a doença com maior intensidade, com febre mais alta e uma erupção mais extensa. Deve separá-los se for um lactante muito pequeno e se existirem dúvidas relativamente ao facto da mãe já a ter previamente contraído ou se o irmão mais pequeno tiver algum problema crónico na pele ou as defesas baixas. Também pode consultar o seu pediatra para vacinar o mais pequeno se ainda for a tempo e tiver mais de 12 meses de idade.

O meu sogro está a fazer quimioterapia e já teve varicela em pequeno. Será que o meu filho pode visitá-lo se ainda tiver algumas borbulhinhas, mesmo que já sejam poucas?

A varicela pode chegar a ser muito grave em pessoas que tenham as defesas em baixo, como os doentes de cancro ou em tratamento com quimioterapia ou esteróides. Não deve visitá-lo enquanto tiver lesões recentes (pelo menos, 7 dias) e, se já tiver havido contacto com ele, avise o médico de família o mais rápido possível.

Por que é que não posso dar banho normalmente ao meu filho que tem varicela?

Não tenha medo de dar banho ao seu filho/a, mesmo que tenha uma erupção severa. O banho não alastra nem piora a erupção; pelo contrário, provavelmente ajudará a prevenir uma infecção bacteriana. Mas limpe-o com cuidado e suavidade, e depois seque-o bem.

O médico das urgências disse-me que, se tiver febre com a varicela, para não lhe dar Ibuprofeno, que é melhor o paracetamol, mas ele não gosta das gotas orais de paracetamol e vomita-as. O que devo fazer?

Não se deve dar ASPIRINA ® a crianças com varicela, já que o seu uso em pacientes com varicela foi associado a uma doença denominada Síndroma de Reye, que afecta o cérebro, o fígado e os rins. Como o ibuprofeno também é anti-inflamatório, em princípio também não é recomendável. Dê-lhe paracetamol em solução oral (de sabor diferente das gotas orais) ou em supositório, se a febre for alta, cubra-o com pouca roupa ou dê-lhe um banho de água morna, se for moderada ou apenas febrícula.

à possível que a varicela se complique numa criança, mesmo que esta seja saudável?

As complicações da varicela são mais prováveis em pacientes imunodeprimidos do que no resto da população. No entanto, também podem ocorrer em crianças e, especialmente, adultos e adolescentes com mais de 14 anos. A mortalidade deve-se, quase sempre, à pneumonia varicelosa, mais frequente nos fumadores e nas grávidas, mas são muito mais frequentes as complicações por sobreinfecção da pele provocada por bactérias. Se o seu filho/a apresentar um vermelhidão, dor ou inchaço excessivo nas zonas da erupção, tiver febre durante mais de uma semana ou continuar a apresentar novas lesões ao fim de 7 dias, é recomendável dirigir-se às urgências.

A vacina da varicela pode evitar a infecção se já tiver havido contacto com outras crianças infectadas e estiver a incubar?

A imunidade pós-exposição tem uma eficácia de cerca de 90%, se for administrada nos primeiros 3 dias, e possivelmente até cinco dias depois de ter havido o contacto.
 

Artigos relacionados

Pode interessar-te:

Fraldas

Fraldas Dodot Básico

A qualidade de Dodot a um preço básico