Como detectar as alergias?

Conteúdos
verificados por:

Partnership logo

Como detectar as alergias?

O que é a alergia?

à uma reacção patológica do sistema imunitário do organismo, que em condições normais se encarrega de proteger contra as infecções e os tumores, caracterizada por uma resposta inflamatória exagerada face a alguns estímulos (ou antigénios) que são inofensivos e perfeitamente tolerados pela maior parte da população. Essa resposta imunológica exagerada é prejudicial para o organismo e pode ser aguda ou crónica e mais ou menos intensa, dependendo do órgão ou do tecido onde a resposta imunitária anómala se desencadeia.

Como é que as alergias se manifestam?

As suas manifestações são muito diversas: na dermatite atópica, na urticária ou no angioedema, a pele é o órgão afectado, ou o “alvo”. No caso das rinites alérgicas ou da asma brônquica, o afectado é o sistema respiratório, enquanto que nos casos mais graves, como no “choque” anafiláctico, afecta todo o organismo e pode conduzir à morte.

Causas da alergia

Embora se conheçam muitos dos mecanismos imunológicos que ocorrem durante as reacções alérgicas e muitos dos factores desencadeantes, a causa última da alergia não está totalmente esclarecida nos dias de hoje. Sabemos que há factores genéticos e hereditários. Está provado que existe uma evidente predisposição familiar: se os dois progenitores sofrerem de patologia alérgica, existem pelo menos 50% de probabilidades de um filho vir a ser alérgico. A exposição a diferentes agentes antigénicos (que estimulam as reacções imunológicas de tipo alérgico) e a posterior sensibilização do organismo são os factores determinantes para que se inicie o processo alérgico, que pode ocorrer por diversas vias: digestiva, cutânea, respiratória...

Quando é que devemos suspeitar de uma alergia?

- Se aparecerem lesões na pele, como vesículas, pápulas (ou verrugas), inchaço ou outras, que provoquem comichão ou ardor.

- Vermelhões ou lesões que mudam de sítio e provocam comichão ou ardor.

- Inchaço ou tumefacção da pele, especialmente se afectar lábios ou pálpebras.

- Rinites, conjuntivites ou irritação na boca ou garganta, com ou sem manifestações de mal-estar generalizado.

- Tosse contínua ou persistente, mucosidade excessiva, respiração sibilante, especialmente se os sibilos forem repetidos ou persistentes; sensação de sufoco, insuficiência respiratória.

- Hipotensão arterial, colapso.

Como é que se confirma o diagnóstico?

1) Se se comprovar um aumento dos níveis de imunoglobulina E numa análise ao sangue.

2) Pelo resultado positivo dos testes cutâneos (injecção subcutânea ou contacto sobre a pele de diferentes substâncias ou alergénios que desencadeiam uma resposta inflamatória).

3) Pelos testes de provocação (avaliação dos sintomas que surgem depois de administrar o fármaco ou o alimento a estudar).

Como prevenir a alergia?

A aleitação materna pode actuar como medida preventiva generalizada em caso de predisposição alérgica.

Evitar a exposição ao pó doméstico (peluches, excesso de tapetes, carpetes, etc.)

Correcta instrução dos familiares e cuidadores de crianças com alergia alimentar no sentido de lerem a composição de qualquer alimento comercializado.

Medicação específica (anti-histamínicos, mediadores da inflamação, vacinas ou imunoterapia) em alguns casos, como tratamento preventivo “de base”.

Uma vez que sou alérgica aos ácaros, existe alguma probabilidade da minha filha também vir a ser?

Sim, a predisposição alérgica tem uma base genética. Se ambos os pais forem alérgicos, a probabilidade dos filhos também o serem é superior a 50


O meu filho de 7 anos tem alergia aos frutos secos. Ã perigoso?

Poderá ser, em alguns casos. A alergia alimentar pode ter manifestações clínicas diversas, algumas mais graves do que outras, mas, em concreto, com os frutos secos é frequente a anafilaxia ou o angioedema, que são as reacções mais graves e imediatas. Fale com o seu alergologista para seguir sempre o tratamento adequado e para poder actuar com rapidez.

Como é que posso saber se uma alergia é grave?

Se existir edema ou inchaço da pele –que normalmente começa nas pálpebras e lábios-; se existir tosse, pieira ou dificuldade em respirar; se houver palidez, tonturas, transpiração ou diminuição da consciência; se existir antecedente de reacção grave ou anafilaxia. Nestes casos, convém actuar rapidamente e dirigir-se de imediato ao centro de saúde mais próximo.


Que tratamento devo administrar perante uma alergia intensa? Um anti-histamínico por via oral é suficiente?

Se o seu filho correr o risco de um quadro de anafilaxia, deverá usar uma bracelete identificadora ou algo do género, aprender a reconhecer os sintomas e ter sempre à mão um kit de adrenalina auto-injectável que saiba utilizar (terá de ensinar-lhe assim que seja suficientemente crescido para aprender). Qualquer responsável pela criança, dentro e fora do seu domicílio, deve também ser orientado relativamente ao uso deste tipo de kits.


O meu marido é alérgico a vários alimentos e é muito maníaco em relação ao que come. Agora diagnosticaram alergia ao kiwi e às nozes à minha filha e tenho medo que ele lhe passe as suas próprias manias. à preciso ser-se tão rigoroso?

Em caso de existir alergia aos alimentos, convém habituar a criança a ler a composição dos mesmos e a reconhecer os componentes que deverá evitar


Uma vez que o meu bebé é alérgico aos insectos, o que é que devo fazer como meio de prevenção?

Em caso de alergia às picadas de insectos, terá de evitar entrar em contacto com situações de risco: evitar usar roupas de cores vivas, água de colónia, etc.

Nos casos difíceis de prever, como nas alergias às picadas –por exemplo de abelha, que pode ser mais grave-, o seu pediatra aconselhar-lhe-á um estudo por parte do alergologista relativamente à necessidade de dar entrada num programa de imunoterapia específica.

O meu filho está sempre a tossir e o meu pediatra diz que pode ser alérgico e que deve fazer testes. Não é muito pequeno, uma vez que só tem 1 ano?

Se houver sintomas respiratórios persistentes, na ausência de febre, quer seja rinite, tosse ou bronquite asmática, a causa pode ser alérgica e é provável que os testes específicos já dêem positivo. Consulte um alergologista infantil.


O meu filho tem rinoconjuntivite alérgica e agora começa com “pieira”, como se fosse asma. O pediatra recomendeu cortisona nasal. Não é muito forte?

A rinite alérgica bem tratada pode ajudar a controlar sintomas respiratórios como a asma alérgica, embora o uso de broncodilatadores em aerossol possa ser necessário se houver muitas sibilâncias. Consulte o seu pediatra e/ou pneumologista ou alergologista infantil.


O meu filho é alérgico aos ácaros do pó. Agora recomendaram-me um tratamento diário por via oral para prevenir a asma. Ã eficaz?

Provavelmente, trata-se de imunomoduladores, que são fármacos que actuam como mediadores da resposta inflamatória e são eficazes em muitos casos de asma. Consulte o seu pediatra e/ou pneumologista ou alergologista infantil sobre a duração do tratamento, que é geralmente bem tolerado, e sobre os respectivos efeitos secundários.


O meu filho de 6 anos utiliza o inalador para a asma com muita frequência, uma vez que é alérgico a várias coisas. Pode utilizá-lo directamente sem câmara de expansão, já que é um “perito” em inaladores e sabe fazê-lo muito bem?

Não. à recomendável utilizar câmaras de expansão adequadas para cada idade, para que o medicamento alcance os brônquios e não fique apenas na boca e na garganta, como acontece quando se aplica o inalador directamente na boca.

Pode interessar-te:

Toalhitas

Toalhitas Dodot Sensitive

Especialmente desenhada para peles sensíveis