Ouvir bem desde a infância ajuda no desenvolvimento das capacidades cognitivas, na competência linguística e no bem-estar emocional da criança. Hoje em dia sabe-se que aproximadamente uma em cada 300 crianças nasce com um problema auditivo grave e que quanto mais cedo o identificarmos, mais possibilidades teremos de obter os melhores resultados no seu tratamento.

Muito embora o exame auditivo universal dos recém-nascidos contribua para elucidar este aspecto em grande parte, os pais podem fazer bastante para se certificarem de que o seu filho ouve adequadamente. Lembre-se de que este exame não detectará uma perda auditiva adquirida mais tarde durante a infância. Se todos aqueles que fazem parte da vida de uma criança se preocuparem com a sua audição durante a infância, ajudarão a evitar que viva num mundo silencioso. Em seguida reproduzimos a guia de controlo elaborada pela National Campaign for Hearing Health (Campanha Nacional de Saúde Auditiva), fundação americana sem fins lucrativos.

Tendo em conta a idade do seu filho responda às perguntas com alguém que cuida dele habitualmente, incluindo os seus avós e as amas. Se responder ?não? a qualquer uma das perguntas ou se tiver alguma dúvida, marque JÁ uma consulta com o pediatra do seu filho, para que este o examine. Os testes formais de audição não fazem parte dos exames de rotina; geralmente realizam-se quando os pais expressam a sua preocupação ou se existem factores de risco especiais numa determinada criança, por exemplo, num bebé prematuro. Não fique em silêncio!

Guia de controlo da audição (Sim/Não)

Até aos três meses

  • Reage a sons altos

  • Acalma ao ouvir a sua voz

  • Vira a cabeça para si quando você lhe fala

  • Acorda com vozes e sons altos

  • Sorri quando lhe falam

  • Parece conhecer a sua voz e, quando está a chorar acalma

Três a seis meses

  • Olha para cima ao ouvir um som novo

  • Responde ao "não" e às mudanças de tom de voz

  • Imita a sua própria voz

  • Gosta de guizos e de outros brinquedos que emitem sons

  • Começa a repetir sons (tais como ó, á, e ba-ba)

  • Fica assustado com uma voz forte

Seis a dez meses

  • Responde ao ouvir o seu próprio nome, ao som do telefone e à voz de alguém, mesmo que não seja alta

  • Conhece o nome de alguns objectos (chávena, sapato) e expressões ("olá", "adeus")

  • Balbucia, mesmo quando está sozinho

  • Começa a responder a ordens como "Vem cá"

  • Olha para coisas ou imagens quando alguém fala delas

10 a 15 meses

  • Brinca com a própria voz, divertindo-se com o som e as sensações do mesmo

  • Aponta ou olha para objectos ou pessoas familiares quando lhe pedem que o faça

  • Imita palavras e sons simples; pode usar algumas palavras soltas com sentido

  • Diverte-se a brincar com as mãos e com jogos como "Onde está?"

15 a 18 meses

  • Obedece a ordens simples como "Dá-me a bola"

  • Utiliza frequentemente palavras que aprendeu

  • Utiliza frases com duas ou três palavras para conversar e pedir coisas

  • Sabe 10 a 20 palavras

18 a 24 meses

  • Compreende perguntas simples a que pode responder com "sim? ou ?não" (por exemplo, "Tens fome?")

  • Compreende frases simples ("na caneca", "em cima da mesa")

  • Gosta que lhe leiam histórias

  • Aponta para imagens quando lhe pedem que o faça

24 a 36 meses

  • Compreende "agora não" e "mais não"

  • Escolhe objectos pelo tamanho (grandes, pequenos)

  • Obedece a ordens simples como ?Vai buscar os sapatos? e ?Bebe o leite?

  • Compreende várias palavras que definem acções (correr, saltar)

* Artigo realizado pela Dra.Suzanne Dixon