Incontinência e gravidez

Incontinência e gravidez

Ser mãe é uma experiência única na vida de uma mulher: sentir como o corpo muda para acomodar um bebé, vê-lo nascer, tê-lo nos braços, alimentá-lo… 

Na gravidez, o nosso corpo sofre uma série de alterações para poder acomodar o bebé. 
- O útero aumenta de tamanho à medida que as semanas passam e vai ocupando mais espaço no nosso abdómen. 
- Como consequência, tanto a bexiga como a uretra (canal por onde se expele a urina da bexiga para o exterior) modificam a sua posição original. 
- O pavimento pélvico também sofre alterações: O pavimento pélvico é um conjunto de músculos e ligamentos que fecham o pavimento do abdómen e ajudam a manter a bexiga, o útero e o recto na posição correcta e em suspensão contra a força da gravidade. Está limitado pelas nádegas, coxas e pélvis. No pavimento pélvico situam-se as saídas naturais da uretra, vagina e recto. Durante a gravidez, o pavimento pélvico suporta a pressão do nosso próprio peso e a pressão exercida pelo útero, cada vez maior à medida que o tempo passa e o bebé aumenta de tamanho. Além disso, há uma série de alterações hormonais que fazem com que o nosso pavimento pélvico fique debilitado e, no momento do parto, tenha uma grande capacidade de distensão para facilitar a saída do bebé para o exterior.

Todas estas alterações podem fazer com que, durante a gravidez e o pós-parto, surjam ligeiras perdas de urina(ex: perante uma gargalhada ou um espirro). Estas ocorrem em aproximadamente 50% das mães estreantes, e, a partir da segunda gravidez, a probabilidade de terem pequenas fugas aumenta. Geralmente, estas perdas deixam de ocorrer seis a oito semanas após o parto.

No entanto, é possível preveni-lascom uma série de exercícios e de medidas higiénico-dietéticas adequadas.
1.Os denominados exercícios de Kegel ajudar-nos-ão a fortalecer os músculos do pavimento pélvico. São muito simples mas requerem persistência. Estes exercícios consistem em contrair e em relaxar a musculatura do pavimento pélvico de forma repetida. Ã importante identificar muito bem o músculo, para que os exercícios sejam eficazes.
2.Quanto às medidas higiénico-dietéticas, é recomendável: 
- Evitar alimentos picantes ou comidas muito condimentadas e bebidas excitantes com teor em cafeína ou teína, já que irritam as paredes da bexiga.
- à recomendável ir à casa de banho de duas ou de três em três horas, para não ficarmos com a bexiga demasiado cheia, o que facilita as fugas.
- A higiene deve ser minuciosa, secando bem a pele partindo da frente para trás, sem abusar do sabonete. Podem-se utilizar toalhitas húmidas para fazer a higiene. São fáceis de usar, práticas e asseguram uma boa higiene da zona.
- Enquanto tivermos perdas, devemos andar protegidas com pensos absorventes específicos de urina; são produtos preparados para absorver a urina e, sobretudo, o odor. Deste modo, sentir-nos-emos sempre seguras.

Sempre que nos surjam dúvidas, devemos comentá-las com o pessoal médico que acompanha a nossa gravidez.

Pode interessar-te: