A118

Consulta médica do bebé saudável: 3 anos

à muito divertido levar a uma consulta crianças com três anos. Têm muita curiosidade em saber o que se passa e ficam ansiosas por colaborar. Adoram dizer o próprio nome e idade e contar a vida ao médico ou à enfermeira. Também se interessam pelo próprio corpo e já não têm uma atitude tão defensiva como a maioria das crianças de 2 anos. Não leve a criança a uma consulta à hora da sesta nem com o estômago vazio, pois nada de bom resultará dessa experiência.

Nesta consulta é provável que o pediatra:

Pese e meça o seu filho.
Para além de pesar e medir a criança como habitualmente, o pediatra poderá fazer outras coisas:
A partir de agora também medirá a tensão arterial do seu filho.
O pediatra fará perguntas e dará instruções à criança. Não tente ajudar o seu filho. O pediatra está interessado na resposta dele. Fique na sala e perto dele, para lhe dar segurança, mas permita que se desembarace sozinho.
O pediatra examinará a visão e a audição do seu filho (até esta altura, provavelmente o seu filho só terá feito exames aos ouvidos e aos olhos se você ou o pediatra tiverem suspeitado da existência de algum problema). Informe o pediatra se existem antecedentes familiares de problemas de visão ou de audição.
Alguns pediatras analisam amostras de urina. Informe o pediatra se o seu filho se queixa de dores ao urinar, se faz às pinguinhas ou se voltou a fazer chichi nas calças depois de já se ter habituado à sanita.
à possível que peçam ao seu filho que faça um desenho, o que fornecerá informação útil acerca do desenvolvimento e do bem-estar do seu filho. Você também poderá levar alguns desenhos dos que o seu filho tenha feito em casa.
O pediatra fará diversas perguntas, por exemplo:
O bebé foi visto por outro pediatra desde a última consulta? Em caso afirmativo, qual o motivo? Qual o resultado dessa consulta e foram prescritos quaisquer medicamentos ou tratamentos?
O seu filho salta, chuta uma bola, anda de triciclo ou numa bicicleta com rodinhas?
Sabe o nome dele?
Consegue brincar bem com outros miúdos?
Faz mais birras?

Fale de tudo
Se o seu filho frequenta um infantário ou um jardim de infância, os educadores podem ter mencionado algumas preocupações. Fale disto com o pediatra.
Se o seu filho ainda não frequenta um infantário ou um jardim de infância e você estiver a pensar em inscrevê-lo, o pediatra poderá dar-lhe alguma orientação.
Se os avós ou outros parentes tiverem manifestado quaisquer preocupações acerca do seu filho, discuta-as com o pediatra.
Informe o pediatra se o seu filho tiver problemas em comer ou dormir. Se ressona ou tosse durante a noite, pergunte o que deve fazer.
Informe o pediatra se estiver a fazer uma dieta especial, como por exemplo vegetariana ou baixa em colesterol. Ele poderá ajudá-la a garantir que o seu filho em crescimento e toda a família tenham uma alimentação adequada.
Fale da evolução da habituação à sanita. Mencione se se verificaram quaisquer retrocessos neste tema. Poderá necessitar de alguma orientação.
Se tiver problemas com a disciplina, fale deles agora.

Não se retraia!
Os seguintes aspectos são de grande importância. Por isso, deverá dizer ao pediatra se o seu filho:

• Não diz frases completas nem faz perguntas utilizando as palavras comuns (quem, o quê, onde, quando e por quê).
• Não acompanha as histórias nem demonstra interesse por livros.
• Fica sempre muito perto da televisão ou gosta do volume demasiado alto.
• Desvia um dos olhos.
• Tem muita dificuldade em se separar de si.
• Não se relaciona bem com outras crianças num ambiente de grupo.
• Não se mostra feliz a maior parte do tempo.
• Não sabe o próprio nome nem a idade.

Certifique-se de que também menciona:

• Se um membro da família ou alguém que está em contacto permanente com o seu filho sofre de tuberculose, hepatite, ou de outras doenças infecciosas graves o seu filho poderá necessitar de fazer exames ou de um tratamento.
• Se na escola, no infantário, ou no seu local de trabalho surgiu algum surto de diarreia ou de qualquer doença contagiosa, o seu filho poderá necessitar de fazer exames ou de tomar vacinas especiais.
• Se tiver ocorrido qualquer grande mudança importante na sua família ou situação familiar.
Se o seu filho não tem seguro de saúde.

* Artigo realizado pela Dra.Suzanne Dixon
 

Pode interessar-te: