A72

Natação para bebés

Em alguns países desenvolvidos, os cursos de natação para bebés deixaram de ser uma moda passageira para passarem a ser oferecidos às famílias poucos dias após o parto. Ao ficar submerso na água, o bebé recorda as agradáveis sensações vividas no útero materno. Habituados ao calor constante do líquido amniótico, os bebés mantêm ainda a capacidade de permanecerem submersos num meio aquático. Mas, ao fim de poucos meses, esta capacidade deixa de ser automática e deve ser aprendida, explicam os especialistas. Tendo em conta que a plasticidade máxima do cérebro ocorre nos três primeiros anos de vida, é possível iniciar muito precocemente a natação e outros jogos e, deste modo, aumentar a capacidade de aprendizagem da criança.

Em Portugal, a prática comum é começar entre os três e os seis meses, embora a tendência seja adiar o início das sessões. Alguns pediatras são mais apologistas do que outros, já que existem algumas contra-indicações: (pele atópica, otites externas ou otite média com perfuração do tímpano, por exemplo). Por isso, é recomendável que os pais consultem antes um especialista. Em todo o caso, aos 3–4 anos as crianças devem aprender a nadar pela sua própria segurança.

Na água, o bebé depende das mãos dos pais. E ele tem essa noção. Ã preciso conhecer muito bem as normas de segurança nas piscinas. Por isso, é muito importante que os papás se mostrem seguros e confiantes e que, ao mesmo tempo, redobrem a sua atenção para que possam transmitir boas sensações ao filho: é um momento privilegiado para que ambos desfrutem e aprendam
a relacionar-se.

A natação em família, desde os primeiros meses de vida, ajuda a reforçar o vínculo materno e paterno-filial, além do desenvolvimento psicomotor e da personalidade e aumenta a capacidade pulmonar. O bebé aprende a ouvir, a observar e a descobrir os seus reflexos inatos. Os exercícios (agarrar, deslocar, imergir, lançar, virar... ) feitos pelos pais ajudam-no a relaxar e a ganhar segurança e confiança com o meio aquático. Ã recomendável que ambos os progenitores participem, para que ambos aprendam os exercícios que se forem fazendo.

As sessões duram aproximadamente 45 minutos. Antes do início de qualquer aula, as piscinas são aquecidas até a água alcançar uma temperatura de 32 a 33 graus. A desinfecção total (com a percentagem mínima de cloro ou outras técnicas como o ozono), por norma, é básica.

Segundo os especialistas sobre o tema, a actividade aquática como meio lúdico multiplica as habilidades motoras da criança e a sua capacidade de reacção perante as dificuldades, oferece aos pais um conhecimento acerca da conduta e das reacções do seu filho e, através do movimento na água, estabelece-se um vínculo afectivo e comunicativo com os pais muito positivo para o desenvolvimento da criança. Os lactantes habituam-se ao meio e a determinadas normas claras acerca dos banhos, pelo que os seus actos são menos imprevisíveis. Assim, o bebé aprende a comportar-se com segurança e autonomia dentro do meio aquático, desde que as actividades realizadas respeitem a ordem cronológica em harmonia com a sua maturidade neuromuscular.

O meu pediatra é contra a natação para bebés mas não me explicou os motivos. Ã verdade que existem riscos?

Alguns pediatras são mais apologistas do que outros, já que existem algumas contra-indicações: (pele atópica, otites externas ou otite média com perfuração do tímpano, por exemplo). Por isso, é recomendável que antes os pais consultem um especialista. Em todo o caso, aos 3 –4 anos as crianças devem aprender a nadar pela sua própria segurança.

Como sempre andámos na natação, o meu filho não quer sair da banheira e chora muito à noite, cada vez que acaba de tomar banho. Ele nada e mergulha mesmo como na piscina. Posso deixá-lo muito tempo lá?

Mais de 15 a 20 minutos diários na banheira não é recomendável. Além disso, o duche promove a poupança de água e há que potenciá-lo. O mais importante é a segurança no banho:

- Não o deixe sozinho na banheira
- Coloque um tapete anti-deslizante na banheira.
- Certifique-se de que a água do banho não está demasiado quente ou instale um regulador de temperatura.
- Não toque em aparelhos eléctricos se estiver descalço/a ou molhado/a e evite que a criança o faça.
- Não ligue nada à corrente eléctrica nas proximidades da banheira que possa cair lá dentro quando esta estiver cheia.

Existem livros que falem sobre a natação para bebés?

ALGUNS LIVROS
- Los bebes en el agua. Una experiencia fascinante (Os bebés na água. Uma experiência fascinante) de Gemma Barbany Grau
- Swimming with babies and small children (Nadar com bebés e crianças pequenas), de Barbara Ahr;
- Todo un mundo de sonrisas. Juegos mes a mes, de 0 a 36 meses. (Um mundo cheio de sorrisos. Jogos mês a mês, dos 0 aos 36 meses) de Elizabeth Fodor
- Todo un mundo de sensaciones. De 0 a 6 meses (Um mundo cheio de sensações. Dos 0 aos 6 meses) de Montserrat Morán

Propuseram-me iniciar aulas de natação com o meu bebé 3-4 semanas após o nascimento. Ã recomendável ser assim tão cedo?

Em Portugal, a prática comum é começar entre os três e os seis meses, embora a tendência seja adiar o início das sessões. Alguns pediatras são mais apologistas do que outros. A verdade é que, em época de epidemias por vírus respiratórios, por exemplo, não há nenhuma necessidade de expor um lactante de 2-3 meses a situações em que possa ser contagiado por outras crianças.

Existe informação na Internet sobre natação para bebés?

www.nabel.es
www.lenoarmi.com
www.natacion-bebes.com
www.paidotribo.com
www.babygim.com

Vivemos num condomínio com piscina e quero que o meu bebé aprenda a nadar o mais cedo possível. Com que idade pode começar? Ã verdade que já pode ir, sendo recém-nascido?


O objectivo da natação para recém-nascidos não é aprender a nadar, mas sim desenvolver certas capacidades físicas e intelectuais. O importante é que um bebé ou criança pequena nunca pode ficar sozinho/a nas proximidades de uma piscina sem vigilância directa de um adulto.


O meu marido foi nadador profissional e quer iniciar o meu filho de 3 meses nessa prática. Ã perigoso?

Nunca se deve empurrar uma criança para a água sem a presença de especialistas em natação para bebés. “Ele habitua-se” ou “já nascem a saber boiar, pois estavam no líquido amniótico” são simplificações perigosas. Todos os anos morrem por afogamento crianças menores de 3 anos por imprudência dos pais ou monitores de natação não especializados: as crianças não nascem a saber nadar.

à necessário usar tampões para os ouvidos quando as crianças vão a cursos de natação em piscinas?

Não é necessário, excepto em casos especiais sob o controlo do otorrinolaringologista.

à verdade que os bebés que frequentam cursos de natação são mais inteligentes?

A partir dos três meses, as crianças possuem uma série de reflexos que tornam a sua aprendizagem muito rápida. A relação entre o pai, a mãe e o filho sai reforçada através desta actividade, já que é uma experiência original, única e que estimula especialmente a auto-confiança e o respeito de determinados limites. Não se sabe se o estímulo é salutar pelo facto do bebé desenvolver novas capacidades, por fazer exercício enquanto nada ou por estabelecer um vínculo positivo com os pais, mas os seus efeitos benéficos são evidentes.


Está provado que existe uma relação entre a natação para bebés e a asma?

Um estudo realizado nos países escandinavos revelou maior incidência de sibilâncias em bebés que praticavam precocemente natação, quando existiam antecedentes familiares com asma. Não foi possível descartar a possibilidade do cloro das piscinas ou da elevada humidade ambiental serem a causa.

Pode interessar-te:

Toalhitas

Toalhitas Dodot Sensitive

Especialmente desenhada para peles sensíveis