A cólica do lactente

Conteúdos
verificados por:

Partnership logo

A cólica do lactente

O que é a cólica do primeiro trimestre?
A cólica do primeiro trimestre caracteriza-se por episódios de um choro agudo que parece inexplicável e que altera um bebé aparentemente saudável e tranquilo durante o resto do tempo. Inicia-se geralmente depois do aleitamento, embora possa suceder a qualquer hora sem relação com estas. Ã mais frequente durante a tarde/noite e pode durar mais de 2 horas. Estes episódios aparecem a partir da primeira semana de vida e, provavelmente, prolongar-se-ão durante os primeiros 3 meses de vida com uma frequência diária. Podem ser acompanhados de movimentos de flexão das pernas sobre o abdómen, flexão dos braços, fechar dos punhos, várias caretas, irritabilidade geral e emissão de gázes intestinais. O lactente costuma ficar consolado se lhe pegarmos ao colo, a não ser que tenha estado a chorar durante muito tempo.
Cómo verificar se o lactente chora mais do que o normal
Para poder avaliar se o lactente chora mais do que o normal convém-lhe saber que, esquematizando e quanto ao choro, existem três tipos de bebés normais:
• Os que choram pouco: 25% dos casos. São lactentes que choram uma média de 30 a 60 minutos diários.
• Os que choram o normal: 50% dos casos. São lactentes que choram uma média de 90 a 120 minutos por dia.
• Os que choram muito: 25% dos casos. São lactentes que costumam chorar de 2 a 3 horas por dia.
O bebé tem mais horas de choro a partir da 3.ª até à 9.-12.ª semana, e então estas diminuem paulatinamente. O período de choro é mais frequente (75% do total) das 18:00 às 8:00 h., e menos frequente (25% restante) das 9:00 às 17:00 h.
Qual é a causa da cólica do lactente?
A cólica do lactente é um transtorno muito frequente (mais de 30% dos lactentes padece desta em alguma medida) de causa desconhecida, embora existam muitos factores que possam estar implicados no seu aparecimento. O pediatra tentará remediar esta situação e indicar-lhe-á tratamentos variados até encontrar aquele que resulte melhor.
Em alguns casos, o choro é provocado por causas digestivas, a mais frequente das quais é a intolerância às proteínas do leite que o bebé toma (se tomar biberão — o leite está adaptado a partir do leite de vaca—) ou porque a mãe ingere produtos lácteos excessivos (se o aleitamento é a peito). Mas na maioria das ocasiões existe um aumento na produção de gazes intestinais ou uma incapacidade em relação à sua correcta eliminação. Isto pode ser devido, como já dissemos, a uma intolerância à lactose do leite. Mas ocorre quase sempre por uma má técnica de alimentação, na qual o lactente engole demasiado ar, mais o facto de passar muitas horas em posição horizontal no berço. Também se acredita que as cólicas possam ser causadas por um aumento na produção de algumas hormonas do intestino (motilina, gastrina, etc.) que aumentariam demasiado a frequência e a intensidade dos movimentos intestinais.
O que se pode fazer?
Em seguida encontrará uma lista de coisas que podem aliviar o seu bebé se tiver cólicas.
• Mantenha sempre a calma: Deve levar o bebé ao pediatra pelo menos uma vez para comentar o problema das cólicas. Ele vê-lo-á e confirmará se o bebé é normal e não tem nenhuma doença, e recomendar-lhe-á um tratamento. Mas há que ter em conta que, por vezes, a ansiedade dos pais também pode desencadear o choro do bebé e não ser apenas a consequência lógica deste. Portanto, recomenda-se tentar não se irritar se o lactente chorar e ter paciência para não piorar a situação.
• Certifique-se de que não tem fome nem que está demasiado cheio: Uma escassa quantidade de leite materno ou de biberão pode ser a causa do choro. Igualmente, se o lactente estiver demasiado cheio (está a dar-lhe de comer com muita frequência, dá-lhe um suplemento de biberão demasiado grande, você tem muito leite, etc.) também pode acontecer que chore. Reveja estes aspectos e tente corrigi-los.
• Tente que coma com vontade e que pegue bem no peito ou na tetina do biberão: Por vezes, o lactente não come com vontade por vários motivos, entre os quais se destacam os seguintes: o mamilo é muito pequeno, o lactente chupa apenas no mamilo e não no mamilo e na auréola, as tetinas estão mal adaptadas, os biberões com válvulas, os biberões com orifícios demasiado pequenos ou grandes, a má postura ao alimentá-lo ou o nariz emtupido.
• Certifique-se de que não está incómodo: Existem vários factores que podem incomodar o lactente, entre os quais se destacam os seguintes: a roupa demasiado apertada, o excesso (calor) ou a falta de roupa de agasalho (frio), a falta de contacto com os pais ou o excesso de contacto e a humidade (certifique-se de que não está molhado ou sujo).
• Levante-o e dê-lhe colo: Provavelmente o seu bebé sente falta do ritmo de vida intra-uterino, quando sentia as batidas do seu coração e a respiração da mãe durante todo o dia. Sentir-se-á satisfeito e calmo se pegar nele, o abraçar e o acariciar são actividades rítmicas muito úteis. Tenha presente que o lactente não se habituará: não ficará "mal habituado" por pegar nele de vez em quando durante os primeiros 3 ou 4 meses. Tente dar-lhe colo várias vezes por dia (preventivamente). Ficou comprovado que pegar nos bebés ao colo durante 3 horas por dia quando não estão a chorar reduz imediatamente a taxa de choro diário para 50%.
• Não lhe dê de comer sempre que chorar: O facto de estar com fome não é a única razão do choro. O estômago demora mais de 2 horas a ficar vazio. Assim sendo, espere pelo menos este tempo entre as refeições. Se lhe estiver a dar de mamar, não deverá tomar muito café, chá nem bebidas com cafeína ou outros estimulantes.
• Evite que durma excessivamente durante o dia: Se já tiver dormido três horas seguidas, acorde-o suavemente e brinque com ele ou estimule-o.
• Mantenha o bebé na posição vertical durante o máximo de tempo possível: Tentando que não se sinta incómodo, coloque-o num marsúpio para bebés e passeie com ele. Também pode colocá-lo um pouco numa espreguiçadeira para crianças. Não se esqueça de mudá-lo de posição de vez em quando, quer esteja ao colo quer esteja no berço.
• Tente que se sinta confortável: Sente-se, deite-o sobre os seus músculos e mova as pernas para cima e para baixo com um ritmo suave. Aninhe-o numa extremidade do berço, ou envolva-o numa manta pequena de barriga para baixo e com os braços de lado, de maneira a que se sinta mais protegido. Dê-lhe palmadinhas ou esfregue-lhe as costas para o fazer arrotar depois das refeições (embora não seja imprescindível). Faça-lhe massagens suaves na barriga ou deite-o e mova as suas pernas como se estivesse numa bicicleta.
• Dê-lhe um banho morno, cante ou fale com ele: Proporcione-lhe um ruído contínuo ou rítmico, como música de rádio suave (clássica), ou um ruído de fundo regular (um ventilador ou um aspirador). Grave algum destes sons numa cassete e ponha-a a tocar. Dance com o bebé ao som do rádio ou de alguma música agradável.
• Minimize a sua própria fadiga e esgotamento: Faça pelo menos uma sesta diária se por acaso teve uma má noite. Peça ajuda ao seu marido ou a alguma amiga ou familiar para cuidar dos seus outros filhos ou para fazer as tarefas da casa. Cuidar de um bebé que tem cólicas é um trabalho para 2 pessoas. Contrate uma baby-sitter para poder sair para arejar de vez em quando, e tente falar com algum adulto durante o dia, contar-lhe os seus sentimentos, etc.
• Se lhe estiver a dar de mamar, não deixe de o fazer: Se o bebé necessitar de mais calorias pode dar-lhe um suplemento de biberão alguma vez por dia (consultando primeiro o pediatra), mas o leite materno é o mais aconselhavél. Se lhe estiver a dar biberão, não mude de preparado (marca) a não ser que o pediatra o indique, e consulte-o imediatamente se o bebé tiver diarreias ou vómitos persistentes.
• Não lhe dê medicamentos sem consultar o pediatra: Os medicamentos acessíveis não são demasiado eficazes e os que contêm sedativos podem ser perigosos para as crianças desta idade. Colocar um termómetro ou um supositório no recto para o fazer expulsar gases não serve de nada a não ser para irritar o esfíncter anal. Não foi provada cientificamente a eficácia dos preparados à base de ervas.
• Pode usar a chupeta como último recurso: Embora seja provável que se lhe der exclusivamente o peito, ele não a queira. Não o faça durante os primeiros dias até que o consumo de leite esteja bem estabelecido: a consistência, o sabor, o tacto, a elasticidade e, portanto, a maneira de o sugar é diferente do mamilo, e pode desorientar o lactente que está a aprender a mamar.
• Se teve em conta tudo o que foi referido anteriormente e o bebé parece estar bem mas continua a chorar, deixe-o chorar até que adormeça sozinho: Deixe-o no berço, apague a luz e feche a porta. Vá para outro local, mantenha a calma ou tente distrair-se.

LEMBRE-SE: O facto de o bebé chorar sem razão aparente não quer dizer que não se saiba cuidar bem dele ou que seja um mau pai ou uma má mãe.

 

Quando nasceu, o meu filho era muito tranquilo, só dormia e comia, mas agora aos quase 30 dias de vida não pára de chorar quando acorda. O que é que estamos a fazer mal?

Os recém-nascidos têm mais horas de choro a partir da 3ª até à 9.-12.ª semana. A primeira coisa a verificar é se o seu bebé está a receber alimento suficiente. Certifique-se de que ganha pelo menos 150 ou 200 gramas por semana. Se o pediatra não o tiver visto nas últimas duas semanas, vá a uma consulta para descartar a hipótese de ele sofrer de algum processo patológico (otite, intolerância alimentar, etc.). Se se tiver descartado a fome ou a doença como causa do choro e se chorar entre 2 a 3 horas por dia, é provável que o seu bebé sofra de cólicas e não significa que vocês estejam a agir mal. Tenha paciência uma vez que as cólicas do lactente são um processo transitório relacionado frequentemente com o amadurecimento do bebé e costumam desaparecer aos 2 meses e meio ou aos 3 meses de vida.

 

 

Por que é que o meu bebé só chora de tarde ou ao início da noite?

Todos os recém-nascidos ficam mais inquietos ao final do dia, embora não se saiba muito bem por quê. Costumam chorar 75% do total ao final do dia e durante a noite (das 18 às 8 h), e o 25% restante durante o resto do dia (das 9 às 17 h).

 

Por que é que não é conveniente dar uma chupeta a um bebé recém-nascido se esta o pode tranquilizar?

Pode usar a chupeta como último recurso, mas não durante os primeiros 15 ou 20 dias se o estiver a alimentar através do aleitamento materno até que o consumo de leite esteja bem estabelecido: a maneira de sugá-la é diferente do mamilo e pode desorientar o lactente que está a "aprender" a mamar e impedir uma correcta “subida” do leite materno.

 

Qual é o tratamento dos cólicas do primeiro trimestre?

Não existe um tratamento específico, excepto se as cólicas se deverem a uma intolerância ao leite de vaca, caso em que é necessário dar um leite especial à base de “hidrolisado de proteínas”. Se o bebé for alimentado ao peito, pode ser conveniente que a mãe não beba leite nem os seus derivados. Os medicamentos acessíveis não são demasiado eficazes e os que contêm sedativos podem ser perigosos para as crianças desta idade. Não foi provada cientificamente a eficácia dos preparados à base de ervas - infusões -, mas também não fazem mal se se der menos de 50 ml por dia.

 

O meu bebé padece de cólicas do primeiro trimestre e está sempre com fome, suga a sua própria mão ou qualquer coisa que se aproxime da boca dele: posso dar-lhe de comer com mais frequência?

Não se deve dar de comer ao bebé sempre que chorar. O reflexo de sucção desaparece aos 3 ou 4 meses de vida e está presente a todas as horas nos recém-nascidos e lactentes pequenos. Se se alimentar ao peito as tomas podem ser frequentes (de 2 em 2 horas), mas se utilizar leite adaptado é perigoso sobrealimentar os bebés e isso pode agravar as cólicas.

 

A que se deve o facto de o meu bebé recém-nascido ter muitos “gases”?

Em algumas ocasiões, devido à imaturidade do aparelho digestivo dos recém-nascidos, existe um aumento na produção de gás intestinal ou uma incapacidade para a sua correcta eliminação. Isto pode dever-se, raramente, a uma intolerância à lactose do leite, mas ocorre quase sempre devido a uma má técnica de alimentação, que facilita a deglutição excessiva de ar durante as tomas, juntamente com a constante posição horizontal do bebé no berço.

 

A minha filha é alimentada com leite materno mas sofre muito com as cólicas; o que posso fazer para as evitar?

As cólicas do lactente são muito frequentes e, até certo ponto, normais,
uma vez que se trata da própria actividade do bebé que vai aumentando ao
longo de todo o dia, de forma que é máxima ao anoitecer. Diminuem
espontaneamente aos três meses. Existem numerosos remédios que certas
ocasiões ajudam a atenuar um pouco este problema. Também é necessário verificar se
o bebé não tem mais nada, pelo que terá de analisar como se apresentam
exactamente, se estão relacionadas com a alimentação ou com as defecações, se
apresenta algum outro sintoma... Deverá consultar o seu pediatra para que
investigue a situação e lhe recomende o remédio mas adequado para o seu
bebé.

 

Por vezes a minha filha de 2 meses e meio demora 2 dias a realizar as suas defecações. O que devo fazer?

O padrão de defecações dos lactentes é variável, uma vez que durante os primeiros anos de vida tem de completar-se o amadurecimento do sistema digestivo e, além disso, podem existir várias alterações na alimentação. A frequência normal de defecações é entre quatro por dia e uma em cada dois dias durante esta época da vida. Para avaliar a situação do seu bebé, é preciso saber como se alimenta, se houve alguma alteração recente na sua alimentação, se ganha peso suficiente... Se duvida da presença de outros sintomas associados, o melhor será consultar o pediatra, embora seja provavelmente uma variante da normalidade.

 

à normal que o meu bebé de um mês faça as defecações de cor verde?

A cor das defecações depende da alimentação e da flora
intestinal nesse momento, pelo que a primeira coisa a ter em conta é se existiu alguma alteração recente na alimentação. De todas as formas, se não é acompanhado de aumento do número de defecações e de diminuição da consistência, não se deve preocupar.

 

O meu filho recém-nascido só quer estar ao colo: vou habituá-lo mal se lhe pegar frequentemente ao colo?

Os bebés recém-nascidos necessitam de estar ao colo da mãe com frequência. Isto tranquiliza-os uma vez que reconhecem a sua voz e o movimento do seu corpo, como durante os meses de gestação. Além disso, ficou demonstrado que se são abraçados e acariciados durante o dia, choram muito menos ao final do dia e à noite. Quando estiver tranquilo pode deixá-lo no berço ou numa cadeirinha especial para bebés, para que se vá habituando progressivamente a estar separado de si.
 

 

Artigos relacionados

 

Pode interessar-te: