Causas da enurese.

Conteúdos
verificados por:

Partnership logo

Causas da enurese.

A enurese parece ser o resultado da actuação e da interacção entre vários factores que intervêm de forma diferente em cada criança. Entre outros, cabe destacar:
 
 
FACTORES MATURATIVOS
 
Trata-se de atrasos na maturação das estruturas orgânicas e nervosas que sustentam a aprendizagem, como uma capacidade funcional reduzida da bexiga, que impede de armazenar toda a urina produzida durante a noite. Noutros casos ocorre um esvaziamento parcial, dando lugar a que a criança molhe a cama. Também pode existir atraso no reconhecimento das sensações corporais que informam acerca da capacidade máxima da bexiga, assim como na resposta correspondente de acordar para ir fazer xixi
 
 
FACTORES GENÃTICOS
 
Na verdade, os factores maturativos e fisiológicos expostos vêm influenciados por bases genéticas que favorecem o seu aparecimento. Diferentes estudos apontam para uma predisposição hereditária. O risco de uma criança ter enurese é de 43% se um dos pais tiver tido enurese, chegando a 77% se ambos os pais sofreram deste problema. Se nenhum progenitor tiver sido enurético, a percentagem diminui para 15%.
 
A concordância entre gémeos também leva à predisposição genética: nos gémeos monozigóticos (idênticos ou univitelinos), se um gémeo for enurético, o irmão tem uma probabilidade de 70% de também o ser. No caso dos gémeos dizigóticos (não idênticos ou bivitelinos), a probabilidade diminui para 20% dos casos.
 
 
FACTORES DE APRENDIZAGEM
 
Considera-se enurese o resultado de não ter aprendido a controlar o esvaziamento directo sem retenção (isso é micção reflexa, isto é, esvaziar a bexiga de forma directa quando está cheia). Ao iniciar a aprendizagem, o reflexo é inibido (por maturação do Sistema Nervoso Central) e adquire-se o controlo. 
 
Em determinados casos, este fracasso pode estar relacionado com aprendizagens inadequadas ou influências ambientais que interferem na aprendizagem (por exemplo, um ambiente caótico ou stressante em casa).
 
 
FACTORES PSICOLÓGICOS
 
Nas enureses secundárias está comprovada a existência de factores stressantes psicológicos no desenvolvimento do problema. Também na enurese diurna (uma vez excluídas causas médicas) intervêm factores emocionais. Em determinados casos de enurese, aparecem igualmente problemas psicossociais resultantes da doença (baixa auto-estima, stress familiar e isolamento social).
 
 
ANOMALIAS NO SONO
 

Frequentemente, foi sugerido que as anomalias no sono contribuem para o desenvolvimento da enurese. Muitos adultos acreditam que a enurese ocorre porque a criança dorme muito profundamente de forma anormal. Os pais falam espontaneamente acerca da dificuldade de despertarem os filhos durante a noite. Mas os estudos realizados até agora neste campo são pouco consistentes. A emissão de urina pode manifestar-se em qualquer uma das fases do sono, não apenas durante a fase de sono profundo. Este e outros testes fazem com que surjam dúvidas relativamente à consideração da enurese como um problema relacionado com a activação durante o sono.

Pode interessar-te: