A27

Dermatite da Fralda

O que é a dermatite da fralda?

à a inflamação da pele da zona coberta pela fralda. Apresenta-se como um vermelhidão ou eritema que afecta as superfícies que entram em contacto directo com a fralda e, por vezes, afecta também as pregas.

Convém distingui-la de outras alterações da pele que também podem afectar esta zona do corpo:

1) Dermatite friccional ou por atrito (por exemplo, provocada por fraldas de tamanho inadequado ou excessivamente apertadas....)
2) Dermatite de contacto – de origem alérgica-: causada pela borracha ou plástico das fraldas, ou por alguns tratamentos prévios.
3) Dermatite por fungos de tipo Candida: eritema brilhante que afecta as pregas, com pontinhos “satélite” de tipo pustuloso nas bordas das lesões
4) Dermatite seborreica: eritema com descamação amarelada, que pode afectar outras zonas do corpo (couro cabeludo, sobrancelhas ...)
5) Dermatite atópica: afecta com maior frequência outras partes do corpo.
6) Infecção bacteriana: erupções superficiais e/ou crostas amareladas
7) Miliaria rubra ou sudamina: pontinhos vermelhos devido ao calor, etc...

Para conhecer a causa em cada caso, é conveniente saber:

1) Quais foram as medidas higiénicas ou terapêuticas previamente utilizadas: sabonetes, tipo de toalhitas de limpeza, cremes (especialmente antifúngicos e corticóides). Alguns deles podem desencadear ou piorar a dermatite, ou inclusive, provocar reacções gerais do organismo. Há que desaconselhar a utilização de pó de talco, que pode provocar acidentes por aspiração para os pulmões.
2) Que tipo de fraldas se usam e qual é a frequência de muda das mesmas.
3) Há quanto tempo apareceu e como é que a inflamação progrediu. Uma evolução muito rápida ou a persistência da dermatite durante mais de 3 dias deve fazer-nos pensar noutros diagnósticos além da dermatite simples da fralda.
Qualquer dermatite da zona da fralda que não registe melhoras com o tratamento habitual requer inspecções adicionais.
4) Coexistência de diarreia, que pode iniciar ou manter a dermatite, e de outros sintomas, como febre, vómitos,... que podem apontar para outras causas de dermatite.

à conveniente o pediatra inspeccionar:

1) Tipo de lesão: eritematosa na dermatite da fralda “clássica”, descamativa na dermatite seborreica, erosiva ou crostosa na sobreinfecção bacteriana, com afectação de pregas e lesões satélites na dermatite por Candida. A afectação de toda a zona da fralda e as úlceras profundas apontam para outras causas.
2) Lesões micóticas orais (muguet) em caso de suspeita de dermatite por Candida
3) Outras lesões cutâneas, para descartar dermatite seborreica, dermatite atópica, psoríase, sinais de abusos ou negligência e outras dermatoses.

Tratamento

1) Lavar a pele da zona só com água. Não utilizar sabonetes nem toalhitas de limpeza.
2) Ã recomendável o uso de fraldas super absorventes e a muda frequente das mesmas (> 8 vezes por dia).
3) Utilizar pomadas de “barreira”, como a vaselina ou o óxido de Zinco (Pasta Lassar). Se não melhorar, consultar o pediatra.
4) Em caso de inflamação intensa, podem aplicar-se pomadas com corticóides suaves (hidrocortisona a 1%) durante poucos dias, e sempre sob indicação do pediatra ou dermatologista.
5) Em caso de suspeita de sobreinfecção por fungos do tipo Candida, a nistatina, o clotrimazol e o miconazol são preparados antifúngicos eficazes, embora se desconheça a duração ideal do tratamento.
6) Secantes (em caso de ulceração): Eosina 2%

Acompanhamento

à importante consultar o pediatra para um bom controlo e acompanhamento das lesões durante 2-3 dias, em caso de dermatite severa que não apresente qualquer reacção positiva às medidas gerais. Nunca utilizar preparados que contenham antibióticos, antifúngicos ou corticóides sem controlo do pediatra ou dermatologista.

O que é a dermatite da fralda?

à a inflamação da pele da zona coberta pela fralda. Apresenta-se como uma vermelhidão ou eritema que afecta as superfícies em contacto directo com a fralda e, por vezes, afecta também as pregas.

Como é que se pode saber se um bebé tem uma infecção por fungos na zona da fralda?

Nos bebés a dermatite mais frequente provocada por fungos é do tipo Candida: a pele apresenta uma vermelhidão ou eritema brilhante que afecta as pregas, com pontinhos “satélite” de tipo pustuloso nas extremidades das lesões.

à possível que tenha sido eu a contagiar os fungos (uma vez que tinha tido anteriormente, segundo o que a ginecologista me disse)?

Geralmente a infecção da mulher adulta é transmitda por via sexual e a dos bebés deve-se a uma alteração da flora intestinal, por exemplo através de um tratamento antibiótico prolongado. De qualquer modo, existe uma probabilidade mínima de transmissão por outra via, por exemplo através de toalhas: nunca se devem partilhar objectos de uso pessoal, mesmo entre um casal.

De há algum tempo para cá que as mesmas fraldas com que antes se dava tão bem agora provocam-lhe assaduras entre-pernas. Porque será?

à possível que seja uma dermatite friccional ou por atrito (por exemplo, por as fraldas serem de tamanho inadequado ou excessivamente apertadas....). Compre um tamanho maior e aguarde a evolução.


Uma vez deram-me uma pomada na farmácia que fez muito bem ao rabinho do meu bebé, que estava todo irritado, mas disseram-me que é muito forte. Não posso usá-la, uma vez que teve tão bons resultados?

Inicialmente, deve utilizar pomadas de “barreira”, à base de “pasta lassar” ou semelhantes. à importante consultar um especialista para um bom controlo e acompanhamento das lesões durante 2-3 dias se a dermatite severa não reagir às medidas gerais. Não utilizar nunca preparados que contenham antibióticos, antifúngicos ou corticóides sem controlo do pediatra ou do dermatologista. Alguns podem desencadear ou piorar a dermatite ou, inclusive, produzir reacções gerais no organismo.

A minha filha de 1 ano tem a pele atópica e coça-se muito quando lhe tiro as fraldas. Será que é alérgica à fralda?

A dermatite atópica afecta com maior frequência outras partes do corpo, mas na verdade a atopia indica uma pele que reage exageradamente perante os agentes externos. Nesse caso, deverá descartar a possibilidade de se tratar de uma miliária rubra ou sudamina, devida ao calor ou, uma vez que se coça, a uma sobreinfecção bacteriana.

Quais são as melhores pomadas para o cuidado normal da pele do rabinho dos bebés?

O melhor é utilizar cremes de “barreira”, como a vaselina ou o óxido de Zinco (Pasta Lassar). Caso não se verifiquem melhoras ao fim de 2-3 dias, consulte o pediatra.

A minha mãe diz que o melhor para o cuidado da zona da fralda é o pó de talco mas o meu pediatra desaconselha-o. Porquê?

Há que desaconselhar a utilização do pó de talco, dado que pode provocar acidentes por aspiração para os pulmões. Em todo o caso, para algumas lesões relacionadas com o calor ou com muita comichão, pode-se utilizar o pó de talco em loção líquida.

O meu filho de 4 meses dorme toda a noite. Devo acordá-lo para lhe mudar a fralda?

Se durante o dia mantiver a pele da zona limpa e seca e mudar frequentemente a fralda, não deve acordar a criança, já que as fraldas actuais são super absorventes e mantêm-se secas durante horas. Antes da última muda do dia pode aplicar uma camada grossa de creme à base de “pasta lassar”, que actuará como barreira e ajudará a proteger a pele.

Se o meu filho tiver o rabinho muito irritado, devo lavá-lo bem com água e sabão para que as lesões não infectem?

1) Deve lavar a zona do rabinho só com água. Não utilizar sabões nem toalhitas.
2) Ã recomendável o uso de fraldas super absorventes e a muda frequente das mesmas (> 8
vezes por dia).
3) Utilizar cremes de “barreira”, como a vaselina ou o óxido de Zinco (Pasta Lassar). Caso não se verifiquem melhoras, DEVE CONSULTAR o pediatra.
 

Pode interessar-te:

Toalhitas

Toalhitas Dodot

Limpeza e cuidado numa só passagem