?
Por qué registar?
Receberá as nossas newsletters com a informação relativa ao seu momento da gravidez ou do cuidado do seu filho.
Ao identificar-se em dodot.com, oferecer-lhe-emos informação personalizada.
Poderá participar na Comunidade Dodot.
Com um único registro terá acesso a Dodot, Kandoo e Happyjama.
Identifique-se
Lo sentimos, pero en este momento estamos trabajando en mejoras de la web y no puedes identificarte.
Vuelve pronto, por favor.
¡Muchas gracias!
Lamentamos mas neste momento estamos a trabalhar para implementar melhorias na web e não podes identificar-te.
Tenta de novo em breve.
Muito obrigado!
Dodot.com
¿habla español?
Seleccione um tema:
Seleccione uma etapa:

Artigos

Sinais de doença. Como saber (e o que fazer) se o seu bebé estiver doente.

0 votos

Cómo saber y qué hacer si tu bebé está enfermoOs pais inexperientes passam muito tempo a preocupar-se sobre o que fazer se o seu bebé adoece. Como saber se o bebé está realmente doente? O que fazer? Felizmente, se dedicar um pouco do seu tempo a aprender quais os sinais das possíveis doenças do seu filho, sentir-se-á muito mais confiante quando estes surgirem. Esta lista de sintomas ajudá-la-á a determinar quando deve observar e esperar, e quando deve telefonar ao pediatra ou acorrer a um serviço de urgências. Manter o seu bebé o mais saudável possível é um trabalho que se faz em associação com o pediatra. Lembre-se que todos os pediatras e profissionais de saúde desejam ajudá-la e você nunca deve hesitar em procurar os seus conselhos ou cuidados profissionais quando tiver alguma preocupação.

Quando telefonar ao pediatra para lhe falar dos sinais de uma possível doença do bebé:

- O que dizer?. Esteja preparada para descrever exactamente quais são os sintomas do bebé.

- Durante quanto tempo se manteve esta situação. Descreva há quanto tempo se manifestam estes sintomas.

- Se telefonar para um serviço de urgências precisará de fornecer mais informações de antecedentes ao médico de serviço visto que este não conhece o seu filho. Diga a idade do seu bebé e descreva quaisquer condições ou preocupações anteriores de saúde.

- Mantenha-se calma, e seja o mais específica possível.

- A maioria das vezes o pediatra quererá saber se a criança tem febre, qual é a temperatura e há quanto tempo é que está elevada. Verifique a temperatura do seu filho antes de telefonar, a não ser que seja realmente uma emergência. Relativamente aos bebés pequeninos, especialmente aqueles com menos de 3 meses, a febre há-de ser sempre um motivo de consulta urgente visto que nesta idade as causas da mesma podem ter maiores repercussões. Por isso as diferenciámos das dos bebés mais velhos na altura de descrever os sinais de doença.


Lista de sintomas graves

Se o seu filho tiver algum destes sintomas, telefone imediatamente ao pediatra. Todos estes sintomas requerem atenção imediata:

- Torcicolo.
- Fontanela protuberante: se a parte superior do crânio, de consistência habitualmente mole, inchar e endurecer quando se mantém o bebé sentado ou quando está quieto.
- Letargia: se for difícil acordar o bebé ou se ele não lhe responder.
- Febre acima dos 40,5 C.
- Abdómen ou testículos sensíveis e inchados.
- Marcas ou manchas roxas na pele, que não saem quando se estica a zona da pele dos lados da mancha (sem ser hematomas, excepto se se apresentarem à volta da cabeça).
- Deixar de andar.
- Chora intensamente quando se lhe toca ou o deslocam.
- Lábios azulados que não melhoram quando os esfregamos ou aquecemos.
- Faz ruídos ao respirar ou em descanso.
- O bebé inspira e expira mais de 60 vezes por minuto, apresenta uma respiração forçada, ou respiração asmática audível.
- Chora inconsolavelmente durante mais de duas ou três horas seguidas.

Sinais de doença em bebés com menos de 3 meses

As doenças em bebés com menos de 3 meses requerem uma atenção especial. Os sinais podem ser subtis e confusos e a doença pode agravar-se mais rapidamente do que em crianças mais velhas. Embora seja raro apresentar-se uma doença grave, é conveniente contar com algumas linhas de orientação especiais. Em seguida apresentamos alguns sinais que se devem considerar:

Febre
A febre num bebé pequeno deve ser tomada seriamente. As temperaturas rectais de mais de 38º C são consideradas elevadas. Não utilize um termómetro de ouvido nesta idade. Utilize um termómetro rectal ou axilar. Se a temperatura do seu bebé estiver alta, retire uma camada de roupa e verifique a temperatura novamente passados 15 a 20 minutos. Se não tiver voltado ao normal, telefone ao pediatra ou dirija-se ao serviço de urgências. Pode não ser nada, ou pode ser simplesmente uma constipação, mas de qualquer modo deve tomar precauções. Prepare-se para informar se o seu bebé come bem, se desperta facilmente, se estiver alerta ou mostrar quaisquer outros sinais de doença (veja mais adiante). Em bebés muito pequenos, o mais provável é que uma febre se deva a ter roupa em excesso do que a uma doença. Igualmente, informe o pediatra se o bebé esteve exposto a alguma doença nas últimas semanas e se tem algum problema crónico de saúde. Não lhe administre paracetamol nem ibuprofeno nesta idade. Siga os conselhos do pediatra quanto à avaliação e ao tratamento.

Temperatura Baixa
Os bebés pequenos podem reagir a uma infecção com uma descida de temperatura. Se a temperatura for inferior a 36,3º C, agasalhe-o e verifique novamente passados 15 a 20 minutos. Se a temperatura não subir, ou se subir, mas não foi por muito tempo, apesar de estar devidamente vestido, telefone imediatamente ao pediatra. Descreva quaisquer outros sinais de doença ou qualquer exposição a doença conforme acima se especifica.

Respiração Rápida
Os bebés pequeninos reagem da mesma maneira que os maiores quando têm problemas respiratórios, quer dizer, respirando mais rapidamente e de forma agitada, usando músculos auxiliares, com sensação de 'esforço'. Contudo, cansam-se mais cedo, o que pode comprometer a sua oxigenação e, em caso extremo, a sua função cardíaca. Considera-se rápido para um bebé mais de 60 respirações por minuto, de forma constante. Telefone ao pediatra se se aperceber que o seu bebé respira rapidamente ou se se formar um espaço côncavo entre ou abaixo das costelas a cada inspiração. Para poder verificar isto levante a roupa.

Recusa da alimentação
De vez em quando, todos os bebés têm uma ocasião em que não comem o suficiente. Mas se isto acontece duas vezes seguidas com o seu bebé, e isto implica uma verdadeira mudança para ele, está na hora de informar o pediatra. Faça-o também se mostrar outros sinais de mau estar ou se não acordar para comer.

Vomitar
A maioria dos bebés bolsa e alguns vomitam de vez em quando. Se o bebé expelir o equivalente a uma colher de sopa ou mais de vómito duas vezes seguidas, ou se mostrar outros sinais de doença, telefone ao pediatra. Os vómitos de cor esverdeada e os vómitos 'amarelo vivo' explosivos, que mancham a parede, são mais preocupantes.

O bebé não urina
Se um bebé pequeno passar mais de seis horas sem urinar, ou se não tiver molhado seis fraldas nas 24 horas após o primeiro dia de vida, pode estar a ficar desidratado. Algumas das fraldas recentemente lançadas no mercado são altamente absorventes e parecem secas quando se lhes toca na parte interior (estas mantêm a humidade afastada da pele do seu bebé). Se estiver preocupada porque o seu bebé não está a urinar, coloque um lenço de papel dentro da fralda durante quatro a seis horas e verifique com frequência de está húmido. Se o lenço de papel se mantiver seco, telefone imediatamente ao pediatra.

Sinais de doença em bebés com mais de 3 meses

O bebé parece estar doente
Esta é a observação mais importante que fará no momento de avaliar se o seu bebé está ou não doente, mas, infelizmente, é a mais difícil de determinar. Dizer ao pediatra que o bebé "simplesmente não se está a portar normalmente" é uma informação muito importante. Por outro lado, se observar que o bebé se está a portar bem apesar de ter febre ou uma erupção de pele, é muito menos provável que tenha uma doença grave. O que é que "não portar-se normalmente" significa? Estas são algumas características que podem observar-se:

- O seu bebé não sorri nem brinca como normalmente.
- Não consegue confortá-lo pelos meios habituais.
- Não quer separar-se de si.
- Está sonolento nas horas em que habitualmente está desperto.

Febre
O seu filho tem febre quando a sua temperatura rectal está acima dos 37º. Não tire a temperatura oralmente em crianças com menos de 4 anos. A temperatura do ouvido corresponde aproximadamente à temperatura do recto se for tirada correctamente em bebés com mais de 3 meses. O facto de ter febre significa que o seu bebé está a combater uma infecção, mas não significa que ele esteja gravemente doente. A febre faz parte do mecanismo de defesa do corpo contra as doenças ligeiras comuns da infância. As temperaturas baixas também podem ser causadas por agasalhar demasiado as crianças ou até por lhes dar bebidas muito quentes. A febre muito alta (mais de 40º C) pode causar outros problemas médicos e torna-se necessário baixá-la imediatamente. Em regra geral, a febre superior a 39,4º C indica uma doença mais grave que a febre inferior a 39,4º C. Mas o mais importante é a sensação global de doença da criança e o seu estado geral, do que a temperatura. Vigie sempre a temperatura do seu bebé, se pensa que está doente e informe o pediatra quando for à consulta ou lhe telefonar. Se o seu bebé tiver mais de 3 meses, pode dar-lhe paracetamol ou ibuprofeno para baixar a febre ou o desconforto e, se desejar, verifique a dosagem na embalagem baseada na idade e no peso do seu bebé. Contudo, nunca lhe dê aspirina. Os banhos quentes também baixam a febre nas crianças, mas não são recomendáveis se a febre não for elevada (menos de 40º C) ou se a criança apresentar calafrios. Se o seu filho tiver calafrios e a pele arrepiada significa que a temperatura do corpo está de facto a aumentar. Não utilize fricções com álcool, banhos nem compressas frias. Estes meios arrefecem as crianças pequenas ou provocam calafrios que aumentarão a temperatura.

Vomitar
O Vómito é uma expulsão forçada do conteúdo do estômago, diferente do bolsar de alguns bocados de comida, que os bebés fazem frequentemente. Às vezes as crianças expulsam mucosidade se tiverem tosse. As crianças engolem, não expulsam com a tosse, as secreções que fazem parte de uma doença respiratória. Normalmente o vómito acompanha doenças virais semelhantes ao resfriado ou um tipo de gastroenterite, ou pode implicar a criança ter comido algo que lhe 'caiu mal', ou que é intolerante ao alimento. Deverá observar cuidadosamente as suas características e utilização. Uma série de vómitos dura, normalmente 8 a 12 horas no máximo. Este é um problema mais grave em crianças mais novas, porque ficam desidratadas mais rapidamente.

Os vómitos são graves e requerem atenção médica imediata se:

- O seu bebé também "parece doente".
- É difícil acordar o seu bebé, ou parece confuso quando está acordado.
- Os vómitos contêm sangue que não provém de cortes na boca ou de uma hemorragia nasal.
- Os vómitos são de cor amarelo claro ou verde.
- O abdómen do seu bebé está inchado e ele parece ter dores abdominais que duram mais de três horas.
- O seu bebé ingeriu algo potencialmente tóxico. (Nota: Se o pediatra ou o centro tóxico local lhe deu instruções para administrar xarope de ipeca, então vomitar é a reacção desejada.)
- O seu bebé sofreu um golpe na cabeça. Muitas crianças vomitam imediatamente a seguir ao golpe. Mas torna-se preocupante se os vómitos continuam e são acompanhados de sonolência ou de um comportamento fora do normal.
- O seu bebé apresenta sinais de desidratação, incluindo:
- Não urina durante um período de seis a oito horas.
- Não chora com lágrimas.
- Tem a boca e os olhos secos.
- A fontanela (parte superior do crânio, entre os olhos) faz um côncavo quando o bebé está deitado.

Desidratação
O seu bebé está em risco de desidratação se:

- For incapaz de reter líquidos límpidos, mesmo quando administrados em pequenas quantidades.
- Os vómitos são acompanhados de diarreia aguada, mais de 8-10 em 24 horas.
- Recusa beber qualquer líquido.
- Os vómitos duram mais de oito horas em bebés com menos de 6 meses ou mais de 12 horas num bebé com mais idade numa criança pequena.
Também estiver muito calor no exterior.

O que pode fazer
Se o seu bebé não consegue reter os líquidos, tente dar-lhe de uma colher de chá a uma colher de sopa de líquido límpido ou de uma solução preparada de electrólito e nada mais. Espere 15 minutos antes de lhe dar o próximo golinho, mesmo que pareça capaz de tomar mais. Então dobre a quantidade. Uma solução preparada de electrólito é o melhor, mas também se pode utilizar sumos naturais ou água com açúcar. Administre ao seu filho apenas estes líquidos durante seis a oito horas, sempre que não esteja com vómitos. Dê-lhe comida suave durante outras oito a doze horas e depois volte à dieta normal. Se estiver a amamentá-lo, continue a fazê-lo, aumentando a frequência mas em quantidades mais pequenas.

Prisão de ventre
Apesar dos pais e avós se inquietarem bastante com a ausência de defecação, a prisão de ventre raramente é um problema grave. Realmente só é indicado tratamento para defecações muito duras e dolorosas. Alguns bebés podem só ter ausência de defecação com intervalos de alguns dias, e até quatro ou cinco dias ainda seria normal. Normalmente uma simples mudança de dieta resolverá o problema. No caso dos bebés, pode dar-lhes água depois de comerem. Se beberem sumo, pode dar-lhes sumo de laranja. Para os bebés que consomem alimentos sólidos, pode acrescentar algum alimento com fibras extra, tais como cereais de aveia ou cevada e puré de fruta ou de legumes. Também deveria dar mais líquidos ao seu bebé. A chave para um funcionamento mais regular dos intestinos está sempre em consumir alimentos com mais fibras e beber mais líquidos.

Problemas respiratórios
Verifique se o seu bebé respira rapidamente depois do nariz ter sido limpo e quando está sossegado. Uma respiração rápida ou forçada persistente normalmente indica problemas pulmonares (bronquite, bronquiolite) e requer atenção médica. O ritmo de respiração normal dos bebés situa-se entre 40 a 50 inspirações por minuto. (Veja a secção sobre bebés mais novos acima). Mais de 60 inspirações por minuto, de forma constante, não é normal. Para determinar o ritmo de respiração do seu bebé, limpe-lhe o nariz e observe a sua respiração enquanto está sossegado. Os bebés têm uma respiração irregular, mas as pausas de mais de 10 segundos são anormais. Se o bebé tem os lábios azulados ou se parou de respirar durante 10 segundos ou mais, mas recuperou, vá imediatamente ao serviço de urgências. Se não tiver recuperado, chame imediatamente o 112.

Ruídos estranhos ao respirar
De vez em quando, os bebés produzem uma grande quantidade de ruídos estranhos o respirar. Se o seu bebé estiver doente e produzir ruídos estranhos, se puder descrever o som ajudará muito o pediatra. Às vezes, a respiração ruidosa em bebés e crianças corresponde mais a gemidos e a 'sibilos'. Os primeiros soam como 'E' e os segundos como um chiar áspero quando a criança inspira ou expira. São sinais de doenças pulmonares (bronquite, asma...). Também pode ser um sinal de que engoliu algum objecto que agora está na traqueia ou nos brônquios. Também pode tratar-se de um estertor (respiração asmática intensa ao conter o ar), que se inicia de forma súbita.

Telefone ao pediatra ou vá ao serviço de urgências se:

- Este for o primeiro incidente de respiração asmática.
- O bebé tiver menos de 6 meses.
- A respiração asmática piora ou é acompanhada de febre, babar, com sensação de 'falta de ar'.
- Houver qualquer mudança de cor no bebé.

Tosse e mucosidade
Se a respiração do seu bebé está calma e não asmática e não há outros sintomas graves, pode tentar alguns remédios caseiros. Limpe-lhe o nariz se o bebé lhe parecer incomodado. Em bebés um pouco mais velhos pode utilizar algumas gotas de solução salina (água com sal) para soltar a mucosidade antes de a extrair com uma seringa de ampola. No caso de crianças mais pequenas, limpe simplesmente o nariz com um lenço macio.
Mudança de cor da pele: enrubescimento, palidez, cianose (azul), icterícia (amarelo)

Muitos recém-nascidos têm as mãos e os pés azulados devido ao seu sistema circulatório ainda não ter amadurecido totalmente. Os bebés e as crianças com mais idade não apresentam este fenómeno, a não ser que estejam com frio, estejam a suster a respiração, ou tenham um problema respiratório ou cardíaco. Lábios, mãos ou pés azulados, num bebé mais velho não são um bom sinal e requerem atenção médica imediata. Algumas crianças adquirem um tom azulado quando estão a suster a respiração durante uma birra ('espasmos de pranto'), mas isto desaparece assim que recomeçam a respirar. Não é nada de preocupante. A coloração azulada pode aparecer ocasionalmente se uma criança tiver frio, por exemplo, quando esteve a nadar demasiado tempo. Nesse caso, a única coisa que precisa é duma toalha e de um abraço.
A palidez pode ser um sinal de anemia ou de alguma outra doença. Verifique o interior da boca do bebé ou as pálpebras; estas devem ter uma cor intensa entre vermelho e rosado. Caso contrário, informe o pediatra na próxima consulta, ou mais cedo se houver outros sintomas. A cor vermelha pode ser um sinal de rubor, associado a febre ou a erupção cutânea. Verifique a temperatura do bebé e examine-lhe cuidadosamente o corpo. Pode estar demasiado agasalhado. Se assim for, leve-o para um lugar fresco. A pele de cor amarela é sinal de que a criança tem icterícia. Esta é bastante comum em recém-nascidos, apesar de dever informar o pediatra. Em bebés mais velhos, a pele amarela pode indicar um problema hepático. Por outro lado, uma cor amarela alaranjada significa que o seu bebé está a comer uma grande quantidade de cenouras; neste caso não tem que preocupar-se, mas deve pensar numa mudança de dieta.

Choro agudo e inconsolável com duração de duas a três horas
Isto normalmente significa que o bebé está com dores intensas ou tem um problema neurológico. Este choro é qualitativamente diferente do choro normal de todos os bebés, mesmo que tenham cólicas. Este choro é agudo e parece não ter fim.

Moleza
Se o bebé de repente ficar muito mole, 'como um boneco de trapos' e é incapaz de manter a cabeça erguida, sentar-se, ou chegar a um brinquedo, telefone imediatamente ao pediatra ou dirija-se ao serviço de urgências. Estes sintomas súbitos podem ser muito graves.

Diarreia Persistente
A diarreia, definida pela expulsão frequente de fezes pastosas ou líquidas, normalmente dura de vários dias a uma semana e melhora espontaneamente com o tempo, ou com um pouco mais de líquidos. As mudanças na dieta (dietas adstringentes, leite sem lactose...). Se a diarreia persistir durante cinco ou seis dias, contacte o pediatra. Esteja atento a sinais de desidratação. O aparecimento de sangue ou pus nas fezes também requerem atenção imediata (a não ser que o sangue seja uma pequena quantidade de sangue vermelho vivo proveniente de uma pequena ferida no ânus).
Se as fezes são verdes ou muito líquidas e repentinas, isto indica que passaram com muita rapidez do duodeno (parte superior do intestino delgado). É muito provável que este tipo de diarreia, quer seja grave ou moderada, irrite a área da fralda. Mantenha a área da fralda limpa e protegida com vaselina aplicada directamente ou na própria fralda. Para todos os tipos de diarreia administre frequentemente e em pequenas quantidades, líquidos transparentes ou uma solução preparada de electrólito. Manter o seu bebé hidratado é a chave para controlar a diarreia. O principal problema causado pela diarreia é a perda extra de líquidos que pode causar desidratação. Segue-se o que pode fazer:

No caso de crianças que apresentam apenas fezes soltas e pouco compactas, dê-lhes um pouco mais de água, leite materno ou leite artificial de cada vez que alimentar o seu filho. Evite o sumo de fruta.

Se as fezes estiverem realmente líquidas, utilize uma das soluções preparadas de electrólito, administrada com uma certa frequência, (a cada 15 a 30 minutos) e em quantidades pequenas (de uma a 3 colheres de sopa a cada 30 minutos durante cerca de 24 horas. Se não tiver à mão uma solução preparada de electrólito, pode utilizar bebidas de desporto (isotónicas). Se está a amamentar o seu bebé, continue a fazê-lo. Se o bebé começar a melhorar e comer alimentos sólidos, evite todos os que são laxantes (legumes).
Se o seu filho tiver fezes pastosas ou semi-líquidas
Deixe de dar-lhe produtos lácteos durante pelo menos três a cinco dias. Faça-o beber muitos líquidos transparentes (também servem os gelados). Comece a dar-lhe alimentos sólidos tais como bolachas de água e sal, torradas, arroz, bananas, puré de maça, sopas, massas simples e macarronete. Acrescente a carne, os legumes, e os ovos lentamente. Se a diarreia regressar, volte ao primeiro passo da dieta. Deixe de dar-lhe produtos lácteos durante pelo menos três a cinco dias se a diarreia se prolongar durante mais de 4 a 5 dias. Não dê ao seu bebé infusões de ervas ou quaisquer outros remédios vendidos sem receita médica para combater a diarreia. Estes medicamentos para adultos ou crianças mais velhas podem ser muito prejudiciais para os bebés ou crianças pequenas.

Irritação Cutânea
Uma irritação cutânea pode ser o sinal duma doença ou simplesmente um sinal de picadas de insectos, irritação cutânea ou uma alergia. Se o seu filho não está doente, não há necessidade de telefonar com urgência a não ser que a criança tenha:

- Uma irritação arroxeada de pequenos pontos ou manchas, que não desaparecem ao esticar a pele dos bordos.

- Manchas grandes e vermelhas que indicam urticária ou uma reacção alérgica que pode necessitar de tratamento

Dor forte
Um grito alto, uma criança totalmente inconsolável, ou sensibilidade ao toque em qualquer parte do corpo deve ser levada a sério. Telefone ao pediatra se notar alguns destes sinais.

Recusa de caminhar em crianças que já caminham
Quando o seu filho se nega a suportar o peso na(s) sua(s) perna(s) ou de repente coxeia, isto pode indicar problemas ósseos ou de articulações. Se está demasiado fraco para se manter de pé ou parece coxear, também deve ser visto imediatamente. Estes conselhos não se aplicam a crianças que estão doentes ou cansadas ou que simplesmente só querem que se lhes pegue ao colo. Se caminha inclinado para a frente, pode ter algum problema abdominal.

Dor abdominal
Isto inclui sensibilidade ou inchaço repentinos do abdómen ou do escroto. Ambos são emergências reais que requerem atenção médica. Leve o seu filho a um serviço de urgências se não puder contactar o pediatra. Algumas crianças apresentam dor abdominal quando estão com prisão de ventre, mas este tipo de dor aparece lentamente e é aliviada após a defecação. Marque uma consulta com o pediatra se este é um problema crónico ou um que não é aliviado por mais líquidos ou fibras para crianças pequenas.

Perda de consciência
Requer atenção médica imediata em todos os casos. Telefone imediatamente para o 112 ou para o serviços de urgências domiciliárias da sua localidade.

 

* Artigo realizado pela Dra.Suzanne Dixon

Partilhar

close

Adicionar os endereços à mão:

Adicionar

Vais enviá-lo a:

    O teu nome: O teu e-mail: Enviar